OSB encerra temporada da série Jade com o aclamado pianista Daniil Trifonov

A apresentação no Teatro Bradesco será regida pelo maestro Leandro Carvalho e contará com solo do Jovem Pianista em peça de Rachmaninoff
 

No sábado, dia 16 de novembro, a OSB encerra a série Jade desta temporada recebendo um dos nomes mais brilhantes da próxima geração de pianistas: o russo Daniil Trifonov, de 22 anos. Sob regência do maestro Leandro Carvalho, diretor artístico e regente principal da Orquestra do Estado do Mato Grosso (OEMG), a orquestra apresenta, às 16h, no Teatro Bradesco, as peças “Sinfonia n°44 em mi menor – Fúnebre”, de Haydn; “Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op.43”, de Rachmaninoff, solada por Trifonov; e “Sinfonia n°3 em lá menor – Escocesa”, de Mendelssohn.

 

 

A peça do austríaco Joseph Haydn, “Sinfonia n°44 em mi menor – Fúnebre”, abre o concerto. Composta em 1772, ela faz parte, como muitas das outras composições de Haydn, do período sob influência do movimento literário romântico alemão Sturm und Drang (tempestade e ímpeto), que se manifestava na música através de notas que intensificavam a emoção envolvida na obra. Apesar de ao final de sua vida Haydn pedir que tocassem o terceiro movimento da Sinfonia, o “Adágio”, em seu funeral, em quase nada se justifica seu apelido de “Fúnebre”. Um dos compositores mais importantes do período clássico, Haydn é chamado de “Pai da Sinfonia” e “Pai do Quarteto de Cordas” por estabelecer as formas básicas que se tornou modelo e inspiração para as obras de Mozart e Beethoven, dos quais foi muito próximo. 

 

 

Em seguida, a orquestra divide o palco com o jovem pianista Daniil Trifonov na interpretação da peça “Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op.43”, do russo Sergei Rachmaninoff. Composta na Suíça, em 1934 para piano e orquestra, a obra é um conjunto de 24 variações inspirada na composição “24 Caprichos para Violino Solo”, de Niccolò Paganini.  Sua estreia se deu em Baltimore, em 1934, com o próprio Rachmaninoff interpretando-a com a Orquestra da Filadélfia, na Lyric Opera House. “Rapsódia…” recebeu uma interpretação de balé chamada “Paganini”, em 1939, pelo coreógrafo e dançarino Michel Fokine, que escreveu uma carta ao compositor pedindo autorização do uso da obra para o balé, para o qual ele havia acabado de finalizar a coreografia. Após algumas mudanças na composição para dar um ar mais teatral, o balé estreou pelo The Royal Ballet, na Royal Opera House, de Londres, com um enorme sucesso, o que elevou o status de Rachmaninoff no meio clássico.

 

 

Finalizando o concerto, a OSB apresenta a “Sinfonia n°3 em lá menor – Escocesa”, do alemão Felix Mendelssohn. A obra teve sua composição iniciada em 1829, durante a primeira viagem do compositor à Inglaterra, e só foi concluída e tocada pela primeira vez 13 anos depois, em 1942. A estreia aconteceu em Leipzig, na Alemanha. Mendelssohn afirmava ter tido a ideia inicial para esta obra durante uma visita à ruína Holyrood Chapel, em Edimburgo, Escócia, mas tirando este detalhe, o motivo para a denominação “escocesa” é incerto, já que a obra não se refere a nenhum conto, pintura ou qualquer característica da região. Alguns críticos e estudiosos defendem a presença de melodias escocesas na composição, mas Mendelssohn, inclusive, era contrário a músicas folclóricas, de raízes. Até hoje não se sabe ao certo a real intenção do apelido.

 

 

Daniil Trifonov

Trifonov nasceu na Rússia, em 1991, e hoje se configura como um dos nomes mais brilhantes da próxima geração de pianistas. Conhecido por apresentações marcantes, profundo conhecimento musical e intensa expressividade, Trifonov vem superando a atenção que recebeu na temporada 2010/2011, quando ganhou medalhas nas três das mais prestigiosas competições de música do mundo: “The Chopin Competition”, em Varsóvia – Polônia, onde ganhou o terceiro prêmio; “The Rubinstein Competition”, em Telavive – Israel, com o primeiro prêmio; e “The Tchaikovsky Competition”, em Moscou, com o primeiro prêmio e o Grand Prix, prêmio concedido ao melhor de todos os competidores em cada categoria da competição. Entre os destaques da temporada de 2011/2012 na carreira de Trifonov estão as estreias junto a Orquestra Filarmônica de Viena; Orquestra Sinfônica de Londres; Orquestra do Teatro de Mariinsky, na Rússia; Filarmônica de Israel; Orquestra Nacional da Rússia, entre outras. Já na temporada 2012/2013 destacam-se as estreias de Trifonov junto à Filarmônica de Nova York, Sinfônica de Chicago, Sinfônica de Boston, Orquestra de Cleveland, entre outras. As críticas destinadas às apresentações de Trifinov têm elevado o pianista ao status de um dos mais brilhantes da atualidade.

 

 

Trifonov começou seus estudos de música aos cinco anos. De 2006 a 2009 ele também estudou composição e continuou escrevendo músicas para piano, de câmara e orquestra. Desde 2009, Trifonov estuda piano no Instituto de Música de Cleveland na classe de Sergei Babayan. Em 2008, então com 17 anos, o pianista recebeu prêmios da Scribian Competition Moscow e da San Marino International Competition. Em 2012, Trifonov lançou um álbum interpretando a peça “Concerto para Piano n°1”, de Tchaikovsky, e algumas músicas solos para piano com a Orquestra de Mariinsky, pelo selo Mariinsky. Seu primeiro CD foi pelo selo Decca, em 2011, de uma seleção de peças solos para piano de Chopin.

 

 

SÉRIE JADE 

Sábado, 16 de novembro, às 16h, no Teatro Bradesco (Shopping Village Mall – Barra)

Leandro Carvalho, regente

Daniil Trifonov, piano

 

Programa:

Haydn – Sinfonia n°44 em mi menor – Fúnebre (24’)
Rachmaninoff – Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op.43 (22’)

Intervalo

Mendelssohn – Sinfônia n°3 em la menor – “Escocesa” (40’)

 

Serviço:

Teatro Bradesco – Shopping Village Mall – Avenida das Américas 3.900, Barra da Tijuca

Classificação: Livre

Preços: R$ 60 (frisa), R$ 80 (plateia alta), R$ 100 (plateia baixa e balcão nobre)

Programação sujeita a alteração. 

Descontos:

50% – Estudantes, seniores (acima de 60 anos), menores de 21 anos, e portadores de necessidades especiais – mediante apresentação de documento com foto que comprove a condição (desconto pessoal e intransferível válido para 1 ingresso);

25% – Clientes Bradesco, mediante comprovação através da apresentação de cartão bancário – desconto válido até 04 ingressos na mesma sessão por titular do cartão;

20% – Assinante O Globo, mediante comprovação através da apresentação do cartão de associado – desconto válido até 02 ingressos por associado;

20% – Assinante OSB mediante comprovação através da apresentação de ingresso ou canhoto de assinatura dos concertos de Série da OSB – cada canhoto ou ingresso de assinatura vale desconto em 1 ingresso;

 

Realização: Ministério da Cultura. A Orquestra Sinfônica Brasileira é mantida pela Vale e Prefeitura do Rio. Apoio financeiro: BNDES. Patrocinador master: Carvalho Hosken

Mais informações pelo site: www.osb.com.br

Siga a OSB nas redes sociais: https://www.facebook.com/orquestrasinfonicabrasileira

 

Para mais informações entre em contato

No Rio: Mayara Benatti :: mayara.benatti@agenciafebre.com.br

(21) 2555 8915    

Luana Paternoster :: luana.paternoster@agenciafebre.com.br  

(21) 2555 8916

Fotos para download em: http://agenciafebre.com.br/imprensa
Siga-nos no Twitter @agfebre e no facebook.com/agfebre

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.