PM economiza recursos com projeto ambiental

Método transforma esterco de cavalos em gás de cozinha
 

download

O Regimento de Polícia Montada da PM do Rio de Janeiro vai adotar uma forma ecológica e econômica para descartar cerca de 450 quilos diários de esterco produzido por seus 285 cavalos. Este material será convertido em 7,8 mil metros cúbicos mensais de gás metano, que serão utilizados para abastecer a cozinha e aquecer os chuveiros da unidade.

 

 

A Secretaria do Ambiente vai financiar o projeto de biodigestor, por meio da liberação de R$ 211 mil do Fecam (Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano). Com a borra do esterco que sobrar, serão produzidas cerca de 25 toneladas mensais de biofertilizante. Uma parte será utilizada em hortas de comunidades pacificadas. 

 

 

Segundo estimativa do comandante do regimento, tenente-coronel Anderson Maciel, a economia que o projeto vai gerar para a unidade ficará em torno de R$ 16.600 mensais. 

 

 

“Seremos o primeiro estado a adotar um projeto de destinação ambientalmente correta e sustentável de esterco, que vai permitir uma economia de recursos e evitará que se polua mais o meio ambiente”, disse o coronel José Maurício Padrone, coordenador de Combate a Crimes Ambientais da Secretaria do Ambiente.

 

 

Para realizar o processamento dos dejetos, um decantador será construído em algum ponto dos 178 mil metros quadrados de área livre do regimento. A previsão é de que o edital de licitação da obra seja lançado este ano e de que, até abril, o equipamento esteja em funcionamento.

 

GOVERNO  DO  RIO

0 comentários