Procon Carioca completa dois anos de atuação na defesa do consumidor

Recentemente, o órgão abriu o leque de canais de reclamação, criando um chat no site www.rio.rj.gov.br/web/proconcarioca
 

O Procon Carioca, órgão da Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor, completará dois anos no dia 02 de dezembro. Até a primeira quinzena de novembro, atuou em quase 20 mil casos registrados e solucionados a favor do consumidor carioca. O órgão, que recebe reclamações dos consumidores pela Central 1746, da Prefeitura do Rio, mantém uma rede de atendimento que garante a rapidez e resultado. Cerca de 90% dos casos recebidos são resolvidos em até 10 dias.

 

 

O órgão também tem ajudado muito o consumidor carioca através dos Feirões de Conciliação, que ocorrem periodicamente em diversos bairros da cidade. Consumidores e fornecedores são colocados frente a frente para resolver problemas de consumo. O corpo jurídico do órgão acompanha as negociações e homologa os acordos. Participam dos Feirões grandes empresas como concessionárias de serviços públicos, empresas de telefonia fixa e móvel, TV por assinatura, varejo, compras pela internet e banco. Só o Feirão de Conciliação já atendeu a cerca de 14 mil consumidores, em cinco eventos realizados nos bairros de Madureira, Tijuca, Vila Isabel, Méier e Jacarepaguá.

 

 

O Procon Carioca tem outros campos de ação, como a fiscalização de sites de comércio eletrônico, de operadoras de telefonia que oferecem serviços de banda larga, vistoria em supermercados e restaurantes para verificar a qualidade de alimentos, além da fiscalização para averiguar o cumprimento da Lei da Fila de Banco.

 

Recentemente, o órgão abriu o leque de canais de reclamação, criando um chat no site  www.rio.rj.gov.br/web/proconcarioca. Dessa maneira, o consumidor pode resolver seu problema online, diretamente com 7 grandes empresas, sob a supervisão do Procon Carioca.

 

Outras ações do Procon Carioca estão ajudando a conscientizar os consumidores na cidade do Rio de Janeiro. São cursos, palestras e orientações pelas redes sociais com informações aos cidadãos sobre seus direitos nas relações com os fornecedores.

 

0 comentários