Atendimento humanizado a mães da Baixada é prioridade para o Estado do Rio

Unidades de referência oferecem cuidados especiais a gestantes em Mesquita e São João de Meriti
 

Tratamento-humanizadoA reabertura da maternidade Mariana Bulhões e outras iniciativas em Nova Iguaçu fazem parte de um conjunto de ações que reforçam o compromisso do Governo do Estado em promover melhorias na saúde da população da Baixada Fluminense. Há pouco mais de um ano, a região ganhou o Hospital Estadual da Mãe, em Mesquita, que, juntamente com o Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart, inaugurado em 2010 em São João de Meriti, servem de referência para partos de baixo, médio e alto risco. As duas unidades receberam investimentos de aproximadamente R$ 63 milhões em obras e equipamentos e totalizam 134 leitos, realizando, juntas, mais de 900 partos por mês.

 

Os dois hospitais foram projetados para oferecer um atendimento humanizado, que inclui cuidados especiais com a parturiente, como a internação dos casos de baixa e média complexidades em salas chamadas de PPP – Pré-parto, Parto e Pós-Parto –, onde a gestante é instalada quando está prestes a dar à luz e tem acesso a métodos que vão ajudá-la na hora do parto, como a bola de fisioterapia.

 

Quando chega a hora do bebê nascer, a cama se transforma em mesa de parto normal e o acompanhante pode ver de perto o nascimento do bebê.

 

Além disso, o Hospital da Mulher Heloneida Studart disponibiliza a pacientes que moram distante ou não podem ir até lá diariamente a Casa da Mãe, local onde a puérpera fica hospedada, caso seu bebê precise permanecer internado. O local tem capacidade para hospedar 15 pacientes e tem infraestrutura de uma casa.

 

A Baixada conta ainda com maternidades em outros dois hospitais estaduais – Adão Pereira Nunes, em Caxias, e Vereador Melchíades Calazans, em Nilópolis – totalizando 85 leitos nas duas unidades.

 

0 comentários