Moradores da Rocinha ganham Delegacia de Polícia

DP vai atender os cerca de 150 mil moradores da localidade
 

Com o objetivo de aproximar ainda mais a polícia dos 150 mil moradores da Rocinha, na Zona Sul do Rio, a 11ª Delegacia de Polícia está sendo inaugurada na manhã deste sábado. A unidade, instalada em um prédio de 400 metros quadrados cedido pela secretaria de Ciência e Tecnologia, será totalmente informatizada e contará com 40 policiais e dois delegados. A DP conta ainda com um núcleo especializado de atendimento à mulher, que cuidará de casos relacionados à violência doméstica. Para o delegado titular da 11ª DP, Gabriel Ferrando, o número de casos denunciados deve aumentar, pois agora os moradores da comunidade não precisarão se deslocar até a 15ª DP, na Gávea.

 

– Acho que essa delegacia terá um viés social, de integração. Não vamos focar só na ação represiva, mas sim agregando valores, atendimentos não policiais, garantindo os direitos e não só cobrando os deveres. O grande viés dessa delegacia realmente vai ser o atendimento não policial para essa população tão carente.

 

Já a chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, acredita que a instalação a unidade na Rocinha vai fortalecer o processo de pacificação da comunidade.

 

– A chegada dessa delegacia é a chegada da cidadania, do estado de direito. Não tenho dúvidas que a comunidade e os delegados vão manter uma perfeita interlocução. E essa comunidade tem que chamar a delegacia de sua, estar presente também. Tenho certeza que, no Natal do ano que vem, teremos muitas vitórias para comemorar – afirma a delegada.

 

A identificação imediata dos marginais presos pela Polícia Militar, na opinião do comandante geral das Unidades de Polícia Pacificadora, coronel Frederico Caldas, é um dos maiores benefícios da instalação da 11ª DP em uma comunidade pacificada.

 

– Essa possibilidade de integração com a Polícia Civil é o ideal na segurança pública. A PM atuando preventivamente, em cada viela, em cada beco e Polícia Civil fazendo as investigações. A gente sentia falta disso, principalmente na hora da identificação dos bandidos. Considero esse um dos principais avanços do processo de pacificação nos últimos tempos.

 

Governo do Rio

0 comentários