No RB1 o futuro já chegou

Funcionando em sistema 24 horas, inclusive sábados, domingos e feriados, representa o expoente máximo do processo de revitalização da zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, emergente região comercial e residencial do Centro do Rio
 

Um coquetel no complexo comercial RB1 reunindo empresários, lojistas e representantes do setor imobiliário celebrou na última quinta-feira a revitalização da Praça Mauá e o novo cenário do coração financeiro do Rio de Janeiro. Desde o inicio das obras do Porto Maravilha, há dois anos, a valorização imobiliária da região ultrapassou 150 %, conforme dados do Sindicato da Habitação – Secovi- Rio e a mudança no movimento e no perfil dos frequentadores já chama a atenção dos empresários que tem endereço no entorno.

 

 

Animado, o diretor da Intelsat Brasil, empresa líder mundial em comunicação por satélite, Manoel Carlos Paiva de Almeida, que tem endereço no RB1, disse que as mudanças na área já despertam o interesse de amigos e clientes;

 

 

“Qualquer transtorno que as obras possam causar valem a pena. Hoje o cenário mudou, muitos entram em contato pra saber sobre a área, como estão as obras, falam em nos visitar, em conhecer pontos culturais como o Museu do Futuro, querem acompanhar as mudanças. Podemos dizer que agora temos um belo cartão de visitas”, diz Paiva. Bianca Chaves, do grupo Regus, também no RB1, concorda;

 

“A revitalização foi uma injeção de ânimo e já está atraindo novas empresas de grande porte, especialmente no setor de exportação, importação e tecnologia. Estamos com muitos projetos para 2014 e o novo cenário vai ajudar e bastante”, conta.

 

 

Durante o coquetel, que teve apresentação dos Garçons-cantores, foi exibido um vídeo sobre a revitalização, mostrando detalhes do projeto de reurbanização. O filme também apresentou o RB1 -Centro Empresarial Internacional, estrategicamente localizado no mais nobre endereço do Centro da Cidade, revelando detalhes sobre sua infra estrutura, criado a partir de um contexto futurista. O edifício, referencial arquitetônico na região, também fez adaptações para estar integrado à revitalização da zona portuária e ganhou ares ainda mais modernos, através de projetos que incluem programas de sustentabilidade.

 

 

Em seu discurso, a diretora presidente da Associação dos Condôminos Angela Roda falou um pouco sobre a história do RB1 e da expectativa em torno da nova realidade do Centro da Cidade;

 

“Vimos ao longo desses quase 25 anos de existência, muitos projetos serem apresentados e não concretizados. Mas isso não esmoreceu a visão dos investidores, que sempre acreditaram no futuro dessa região da Cidade. O edifício foi construído a frente do seu tempo, quando os projetos de revitalização ainda eram um sonho, e continua na vanguarda das edificações prediais, mantendo seu espaço diante desse futuro que agora se realiza. E a hora de ser parte desse futuro é agora'”,  disse.

 

 

Composto por pavimento térreo, lojas, oito pavimentos de garagem, um pavimento de convenções e 18 pavimentos de escritórios,o RB1 é atualmente o endereço de aproximadamente 100 empresas, cerca de metade, multinacionais, entre elas as principais empresas de tecnologia e telecomunicações do mundo. Funcionando em sistema 24 horas, inclusive sábados, domingos e feriados, representa o expoente máximo do processo de revitalização da zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, emergente região comercial e residencial do Centro do Rio.

 

 

A revitalização da Zona Portuária vai promover grandes mudanças na paisagem e na dinâmica do Centro do Rio, envolvendo diretamente o quadrilátero compreendido entre as avenidas Rio Branco, Presidente Vargas, Francisco Bicalho e Rodrigues Alves, onde estão situados os bairros da Gamboa, Santo Cristo e Saúde e os morros do Pinto, Conceição, Providência e Livramento. O projeto de revitalização, batizado de Porto Maravilha, vai abranger a construção de hotéis, edifícios residenciais e comerciais com até 50 andares, novos espaços culturais, a abertura de uma avenida na antiga rota dos trens e a substituição de quatro quilômetros do Elevado da Perimetral por um túnel no trecho entre a Rodoviária Novo Rio e o Mosteiro de São Bento.

 

Assessoria

 

0 comentários