UPAs ampliam acesso à Saúde no Estado do Rio

Em 2012, menos de 0,5% dos pacientes foram transferidos para hospitais de emergência
 

Criadas em 2007 pelo Governo do Estado do Rio para prestar à população serviços de urgência e emergência, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) 24h têm ajudado a desafogar a demanda dos hospitais públicos. No ano passado, menos de 0,5% dos pacientes das UPAs precisaram ser transferidos para outras unidades de emergência. No ano de 2006, um levantamento apontava que os hospitais da rede estadual atendiam a cerca de 950 mil pessoas, entre casos de grande e baixa complexidades. Em 2012, o número caiu para 537 mil. Em contrapartida, no mesmo ano, as Unidades de Pronto Atendimento realizaram 3,6 milhões de atendimentos. 

 

 

20 milhões de atendimentos nos últimos seis anos

De acordo com a subsecretária de Unidades Próprias da Secretaria de Saúde, Ana Lúcia Neves, o serviço de pronto atendimento incluiu grande parte da população na política pública de Saúde. Nos últimos seis anos, as UPAs registraram mais de 20 milhões de atendimentos. As 53 unidades, espalhadas por todo o estado, recebem investimento anual de cerca de R$ 500 milhões.  

 

 

“Este aumento dos atendimentos nas UPAs mostra que quem não era assistido passou a ter acesso à Saúde” disse a subsecretária. 

 

 

 

400 consultórios nas 53 Unidades de Pronto Atendimento

No total, as 53 UPAS somam mais de 400 consultórios de atendimentos, cerca de 200 leitos de cuidados intensivos, mais de 650 leitos de cuidados semi-intensivos, centenas de aparelhos de Raios-x e 350 monitores multiparâmetros de última geração. Até o último dia 12 de dezembro, as unidades realizaram 20.181.500 atendimentos, distribuíram 141.062.238 medicamentos, contabilizaram 14.319.201 exames clínicos e 3.823.246 de Raios-x.

 

 

Com o sucesso da iniciativa, as UPAs foram incorporadas às ações do governo federal para a Saúde Pública e, atualmente, podem ser encontradas em todo o país. O projeto também chegou à Argentina.

 

GOVERNO  DO  RIO

 

 

0 comentários