Animais do zoológico do Rio ganham alimentos gelados para espantar o calor

As altas temperaturas causam desconforto para os animais
 

picole-no-zooSorvetes, picolés, banhos extras e muita água fresca. Dessa forma, os bichos do zoológico do Rio, localizado na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, têm recebido um tratamento especial para amenizar o calor “animal” que chegou com tudo nesse verão carioca. Buscando dar mais conforto aos bichinhos, a Fundação RioZoo preparou uma dieta exclusiva para cada espécie.

De acordo com a zootecnista, Karla Cunha, que cuida da alimentação de todos os animais do zoológico do Rio, os alimentos são caseiros, preparados artesanalmente, sem adição de açúcar e conservantes, para beneficiar os animais e ajudá-los a suportar os mais de 40° C do Rio de Janeiro:

“Neste verão preparamos uma dieta menos calórica, com frutas mais suculentas, mais verduras e capins. Além disso, servimos para os macacos, por exemplo, sorvete e picolés de iogurte batido com polpa de fruta de morango e os da polpa de fruta mesmo batida só com água, tudo muito saudável. Já para os carnívoros, como o tigre e o leão, damos carne, frango e coração congelados, de acordo com o hábito alimentar de cada espécie. Eles adoram e ainda se divertem com a novidade. O calor está cada vez maior, com altas temperaturas, e temos que ter muito cuidado com os animais”, explicou.

A pequena Júlia, de 7 anos, que aproveitava as férias em um passeio com a família, ficou impressionada com o sorvetão de carne de 30kg oferecido ao tigre siberiano Neto.

“Que legal, eu também quero experimentar um sorvete de carne como esse”,  disse a menina, deslumbrada com o que estava vendo.

Para aliviar o desconforto causado pelas altas temperaturas registradas nesta época do ano, além da dieta especial, o zoológico adotou algumas medidas nos recintos como a instalação de dispersores de água, a disponibilidade de água corrente em abundância e a ausência de poda de árvore para aumentar a sombra. Os chimpanzés ganharam ventiladores nas jaulas e os pinguins uma refrigeração diferenciada, que mantém a temperatura em 17°C. Já para os animais que não ficam em contato direto com o ambiente externo, como os répteis, é possível controlar a temperatura somente com ar condicionado.

O urso pardo Zé Colmeia aproveitou os 34°C desta quarta-feira (08/01) para se refrescar na sua piscina, que ganhou uma cascata de água. Enquanto nadava, seu tratador Diogo Figueiredo, o presenteou com um belo sorvetão de frutas congeladas. Na receita, muito mamão, manga, abacaxi e melão, fruta preferida do Zé, como carinhosamente é chamado pelo tratador.

De acordo com a zootecnista Karla Cunha, a produção diária dos sorvetes e picolés é enorme e o zoológico já está providenciando a compra de mais um freezer para a fabricação dos alimentos:

“Hoje, fazemos cerca de 70 a 100 picolés por dia. Já os sorvetões de 30 kg são em média seis diariamente porque eles demoram muito a ficar prontos, levam até três dias para congelarem. Mas, apesar de demorarem mais, eles são também uma grande diversão para os bichanos, que ficam horas ali se entretendo com o bloco de gelo, além de servir para estimular o animal a entrar na água e ainda aguçar os sentidos como olfato, paladar e o raciocínio”, contou.

Outra forma de refrescar a bicharada é com muito banho. E, foi vendo um elefante tomar banho de mangueira, que a jovem Maria Luiza, de 13 anos, se divertiu num passeio com a tia. A menina, que mora em Blumenau, Santa Catarina, e passa férias no Rio, adorou a atividade:

“Lá em Santa Catarina temos o zoológico de Pomerode, mas como lá não é tão quente como o Rio de Janeiro, não sei se eles fazem isso com os animais, mas achei muito legal. Tem que refrescar mesmo porque tá muito calor aqui”.

Prefeitura do Rio

0 comentários