Começa na segunda (06), no Rio, a maior colônia de férias do país

O evento é organizado pelo efetuado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (Cbmerj), com apoio da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), e ocorre desde 1963
 

Começa na segunda-feira (06/01), em cerca de 30 praias do estado, a edição 2014 do Projeto Botinho. O evento é organizado pelo efetuado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (Cbmerj), com apoio da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), e ocorre desde 1963. Na avaliação do presidente da Cedae, Wagner Victer, talvez seja a maior colônia de férias do país.

 

colônia-de-férias

 

O coordenador do Projeto Botinho no estado, coronel Marcos Almeida, do Corpo de Bombeiros, disse à Agência Brasil que se trata de uma “colônia de férias voltada a uma mudança de comportamento educacional [das crianças e adolescentes participantes] no que tange às questões voltadas para o mar”.

 

Serão ao todo 8 mil crianças e adolescentes atendidos este ano, repetindo o número registrado na edição do ano passado, que se dividirão em três turmas, nas faixas etárias de 7 a 10 anos; 11 a 13 anos; e 14 a 17 anos.

 

A temática adotada nos últimos anos é trabalhar a cultura preventiva, explicou o coordenador. “Sabendo que a criança é a melhor pessoa para se passar conhecimento e formar uma geração futura mais consciente, mais preparada para os desafios, principalmente os desafios do mar”, disse.

 

Almeida explicou que se o Grupamento Marítimo (GMar) do Cbmerj tivesse maior estrutura, a tendência seria aumentar o número de crianças a cada ano. “Existe um limite natural para a gente poder atender sem prejudicar o serviço pelo qual somos responsáveis em cada praia”. O GMar é o executor do projeto nas praias. Este ano, serão contemplados mais de 12 municípios, desde o norte ao sul do estado do Rio de Janeiro, incluindo a capital.

 

A Cedae fornece o material utilizado nas atividades, além dos uniformes. Durante os cursos, que se estendem por três semanas, ocorrem competições direcionadas ao desenvolvimento físico, intelectual e cultural das crianças e jovens participantes do projeto. “Isso anima a colônia de férias, ou seja, o projeto”, ressaltou o coronel.

 

Agência Brasil

0 comentários