Manifestantes protestam contra aumento de passagem no Rio

Os manifestantes deixaram a estação e caminharam pela Avenida Presidente Vargas até a Cinelândia, onde se dispersaram
 

manifestacao-contra-aumento-de-passagemManifestantes protestaram nessa quinta-feira (30/01), na Central do Brasil, contra o aumento no preço das passagens dos transportes públicos no Rio de Janeiro – ônibus, trens, barcas e metrô – previsto para entrar em vigor em fevereiro. O grupo fez um cordão humano ao longo das catracas da estação e pediu aos usuários para pularem as roletas e acessar as plataformas de embarque dos trens.

 

 

Com cartazes, os manifestantes cobram transportes de “Padrão Fifa” e gritam “Pula, que é de graça”. Alguns usam máscaras.

 

 

Alguns passageiros pularam as catracas, como a coordenadora de vendas Kelly Cristina Taguaragibe, que disse estar “indo à forra”. “Pulo mesmo, pois é um absurdo esse aumento. Essa passagem deveria custar R$ 1, pelo serviço que prestam”, disse Kelly. Segundo ela, “o ar-condicionado dos trens vive quebrado, a gente vem sacolejando em pé, apertada e demora duas horas em uma viagem, que deveria durar 40 minutos”.

 

 

A estudante de química Rosângela Dutra pagou a passagem para ir à faculdade em Mesquita, na Baixada Fluminense. “A manifestação está correta, mas não acho legal não pagar. Se fosse catraca livre, a SuperVia teria liberado. Prefiro pagar”.

 

 

O terminal foi cercado por viaturas da Polícia Militar. No interior da estação, dezenas de policiais militares acompanham a manifestação. As lojas e lanchonetes continuam abertas e o movimento é pacífico.

 

 

Após uma hora e meia de protesto, a SuperVia, concessionária que administra a linha de trens, liberou a passagem para os usuários. Os manifestantes deixaram a estação e caminharam pela Avenida Presidente Vargas até a Cinelândia, onde se dispersaram.

 

Agência Brasil

0 comentários