Moradores reclamam do aumento da violência em São João de Meriti

Conselho de Segurança Comunitário diz que efetivo policial é insuficiente
 

 saojoaodemeriti1

 

Os moradores de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, reclamam do aumento da violência. Eles estão desesperados e pedem socorro. Os relatos da insegurança sentida no dia a dia dos moradores da cidade aumentam na mesma proporção dos índices de criminalidade. De um ano para outro, dobrou o numero de homicídios dolosos, quando há a intenção de matar. Os roubos nas ruas subiram 120% e os assaltos a ônibus aumentaram 300%.

 

 

Segundo os moradores, os traficantes impõem toque de recolher e invadem casas para fugir da polícia. A população está com medo de sair nas ruas e mostrar o rosto para falar do que esta testemunhando na cidade.

 

 

Os crimes não têm hora nem lugar para acontecer, diz um morador do bairro São Matheus.“Hoje, à luz do dia, nos pontos dos ônibus tem de ficar atento. Moto para e leva seu celular, leva seu dinheiro”, disse o morador.

 

 

Os moradores criaram uma página na rede social para falar sobre a violência no bairro e pedir socorro. Eles dizem que está difícil até para a polícia subir o Castelinho. Há tiros todos os dias, eles reclamam da insegurança, dizem que os assaltos são diários.

 

 

Um morador fala que tem medo de bala perdida e que a filha não brinca mais no quintal. Um outro conta que está preso em casa há um mês. Um deles conclui: o Éden está um caos.

 

 

Em nota, a PM disse que a comunidade em São João de Meriti, vai receber uma companhia destacada no próximo dia 27 de janeiro. As companhias destacadas promovem uma redistribuição do policiamento de uma determinada área e contam com 60 policiais. Outros 20 policiais vão ajudar no reforço do patrulhamento em três bairros: Éden, São Mateus e Tomazinho. UM destacamento de policiamento ostensivo já estaria funcionando na Vila Tiradentes, com sete patrulhas se revezando durante o dia sob o comando de um oficial que está à disposição dos moradores.

 

 

 PM disse ainda que o Batalhão de Choque ajuda em operações especiais e com o serviço de inteligência do 21º BPM. A nota termina com uma resposta para uma denúncia que foi feita de que familiares de policiais e bombeiros estariam obrigados da se retirar da cidade. Segundo a PM, não há qualquer boletim de ocorrência sobre esse tipo de informação.

 

G1

 

 

0 comentários