Multidão de fiéis acompanhou a procissão de São Sebastião pelas ruas do Rio

O dia do padroeiro da cidade maravilhosa foi celebrado com muita fé
 
Foto Agência O Globo

Foto Agência O Globo

 

Na segunda dia 20, feriado na cidade do Rio de janeiro e dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, muitos fiéis vestidos de vermelho e branco foram à Igreja dos Capuchinhos, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. O arcebispo do Rio Dom Orani Tempesta, nomeado cardeal pelo Papa Francisco, celebrou missa solene para comemorar a data pela manhã e, a tarde, seguiu em procissão levando a imagem do padroeiro até a Catedral Metropolitana. O arcebispo disse que São Sebastião é um exemplo de firmeza diante das dificuldades.  “Os cariocas são fortes. Superam as dificuldades do dia a dia. E São Sebastião vem inspirar homens e mulheres a viverem a vida de santidade no meio das dificuldades”,  disse o arcebispo, na igreja onde está a imagem do padroeiro, que teria sido trazida por Estácio de Sá para a fundação da cidade.

 

 

Durante a missa, os restos mortais do casal Jerônimo e Zélia, que passa por um processo de beatificação, foram mostrados aos fiéis. Dom Orani apresentou as urnas de acrílico com os ossos do casal, que depois foram levadas por bombeiros para a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, na Gávea.

Assim que a Congregação para a Causa dos Santos reconhecer as virtudes de Jerônimo e Zélia, apresentando os seus milagres, poderá acontecer a beatificação. Jerônimo nasceu em Magé e Zélia Pedreira, em Niterói. Eles se casaram em 1876, na na Tijuca.  “É um casal que nasceu no estado do Rio. Eles viveram entre o Império e a República. Souberam educar os filhos na fé. Eram 13 filhos dos quais nove ficaram vivos. Todos consagrados freiras ou padres. Faziam trabalhos sociais preocupados em ajudar os outros. Por onde passaram deixaram um rastro muito bonito de vida cristã”, disse o arcebispo, lembrando que a vida do casal pode servir como exemplo: “É bom para mostrar que nessas terras tem gente santa e de coração aberto. É bom que tenha um ou outro que seja beatificado para lembrar isso para todo mundo” .

 

Ao final da procissão foi encenado o Auto de São Sebastião.

0 comentários