Obras em vias estratégicas aumentam mobilidade urbana

Investimentos em estradas fluminenses somam mais de R$ 300 milhões
 

Nos últimos sete anos, o DER-RJ (Departamento de Estradas de Rodagem do Rio), da Secretaria de Obras, concentra esforços na recuperação das estradas estaduais, a fim de melhorar a mobilidade em vias estratégicas da Região Metropolitana e das Baixadas Litorâneas. Dez obras, somando mais de R$ 302 milhões, são fundamentais para ampliar a malha viária e a segurança do tráfego fluminense. Algumas das intervenções estão em andamento e serão entregues este ano.

asfalto-borrachaUma das rodovias mais importantes é a RJ-104, que atravessa Niterói, São Gonçalo e parte de Itaboraí. A via, que concentra o maior volume de tráfego da Região Metropolitana (de até 59 mil veículos por dia), teve 22 quilômetros de iluminação instalados em 2011. Este ano, passará por obras que somam R$ 50 milhões e incluem a recuperação do pavimento e de acostamento, a construção de um viaduto de acesso e a canalização de um rio.

Até o fim de março, Caxias ganhará 10 quilômetros de pavimento restaurado, acostamento recuperado e drenagem renovada, além da construção de ciclovias, na RJ-115 – que liga a BR-040 (Rio – Petrópolis) ao bairro de Xerém – e na RJ-085, conectando Xerém a Belford Roxo.

Ainda em Caxias, estão em andamento obras, como duplicação de pistas, pavimentação, drenagem e implantação de cortinas atirantadas na RJ-101, ligação da Linha Vermelha com a RJ-105, em Belford Roxo. Uma ponte será erguida e outra, reconstruída. São 15 quilômetros de intervenções.

Até maio estão previstas as entregas de dois viadutos em Japeri, na RJ-093 (Engenheiro Pedreira). As obras incluem drenagem, sinalização e pavimentação das vias de acesso aos viadutos. Concluídas em 2011, as melhorias na RJ-122 (Guapimirim – Cachoeiras de Macacu) incluem recuperação e alargamento de pontes, sinalização, drenagem e terraplenagem, com produção do asfalto borracha. Em 2010, as obras da RJ-118 (Maricá) completaram o contorno da Serra de Mato Grosso.

 

0 comentários