Operação Lapa Presente tem 35 presos no primeiro dia de fiscalização

Ação também acolheu 26 moradores de rua e apreendeu duas motocicletas
 

A Operação Lapa Presente, da Secretaria de Governo, prendeu 35 pessoas no seu primeiro dia de ação, na quarta-feira (1º de janeiro), todas por porte de entorpecentes. Dessas, uma portava arma branca e duas eram foragidas da Justiça. Todas foram levadas para a 5ª DP (Mem de Sá). Além disso, 26 moradores de rua foram acolhidos, sendo 25 adultos e um menor de idade.

 

O

 

Duas motocicletas foram apreendidas na ação. Elas foram conduzidas ao depósito público por não possuírem documentação regular. Os condutores foram encaminhados à Operação Lei Seca, onde se recusaram a fazer o teste com o etilômetro, sofrendo sanções administrativas. Um deles, inclusive, não portava a Carteira Nacional de Habilitação.

 

A Operação Lapa Presente, de caráter permanente, tem por objetivo garantir o direito de ir e vir e a segurança dos moradores e frequentadoresda região da Lapa, e será posta em prática todos os dias da semana, das 21h30 às 5h30. Ao todo, 123 agentes patrulharão a região do Rio Antigo a pé, em 24 bicicletas ou em 11 viaturas com o logotipo da operação, com o efetivo dividido em 32 grupos, em turnos de oito horas. Trios uniformizados circularão pelo bairro para coibir roubos, uso e venda de drogas e promover o ordenamento urbano. Neste primeiro dia, a patrulha foi feita por dois Policiais Militares e um agente da Secretaria de Governo, que filmou as atuações.

 

Uma van-escritório estacionada na Praça Cardeal Câmara recebeu sugestões de moradores e frequentadores. Além disso, o Disque Lapa Presente (97954-2424 e 97954-2525) funciona como canal direto para denúncias. As ligações são gratuitas, podem ser feitas entre 21h30m e 5h30m, e não é preciso se identificar.

 

Assim como a Operação Lei Seca, a Lapa Presente está sob a supervisão da Secretaria de Governo. Outros nove órgãos estão integrados na ação, entre eles a Polícia Militar do Rio de Janeiro, a Guarda Municipal, a Secretaria Municipal de Ordem Pública, a Secretaria Municipal de Assistência Social, Polícia Civil, o Conselho Tutelar e a Comlurb.

 

– Nossa operação é de caráter permanente. Chegamos para ficar. A distribuição do nosso efetivo na região foi feita de acordo com o que foi levantado pela Inteligência da PM e da Guarda Municipal, no que tange ao consumo de drogas, à venda, ao roubo e furto de transeuntes e também obedecendo ao apelo que moradores e comerciantes fizeram em carta endereçada ao governador Sérgio Cabral – explicou o major Rodrigo Cereser, coordenador da Lapa Presente.

 

– Nossa produtividade foi bastante alta, ainda mais considerando que é uma quarta-feira, um dia não tão movimentado na região. Vários turistas já vieram elogiar a nossa iniciativa – disse Cereser.

 

Segundo o major, além do patrulhamento, serão mobilizados comboios diários para o recolhimento de moradores de rua e de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. O acolhimento dos moradores de rua ocorrerá diariamente através de ações integradas entre o efetivo da Operação Lapa Presente (com uma viatura e 3 vans); a Guarda Municipal (1 viatura); a Secretaria municipal de Ordem Pública (uma viatura); a Secretaria municipal de Assistência Social (2 vans); o Conselho Tutelar; a Comlurb (1 viatura) e a Policia Militar (1 viatura).

 

– Os comboios vão sair da Praça Tiradentes e vão patrulhar toda a Lapa em busca de moradores de rua e também atendendo a demandas que chegarem até nós através da van-escritório e do Disque-Lapa Presente – arrematou o major.

 

Neste primeiro dia de operação, o patrulhamento a pé foi feito no Largo da Lapa, Rua do Riachuelo, Rua Joaquim Silva, Ladeira de Santa Teresa, Rua da Lapa, Avenida Mem de Sá, Rua do Senado, Rua dos Arcos, Theotônio Regadas, Travessa Mosqueira, Conde de Lages e Rua do Lavradio (Arcos da Lapa, Circo Voador, Covento de Santa Teresa, Escadaria Selaron).

 

Já o patrulhamento de bicicleta abrangeu a Avenida Visconde do Rio Branco, Avenida Gomes Freire, Rua do Lavradio, Rua do Riachuelo, Avenida Henrique Valadares, Rua da Relação, Avenida Mem de Sá, Rua Ubaldino do Amaral, Praça da Cruz Vermelha, André Cavalcanti, Rua dos Inválidos, Augusto Severo, Moraes e Vale, Joaquim Silva e Teixeira de Freitas.

 

Três viaturas ficaram baseadas nas ruas Mem de Sá com Gomes Freire, Ladeira de Santa Teresa e na Praça Tiradentes. Essa última também ficou baseada no Largo da Lapa, a partir da meia-noite. Duas outras viaturas ficaram circulando pela Lapa e adjacências.

 

Governo do Rio

0 comentários