Paulo Niemeyer vence Prêmio Faz a Diferença pelo trabalho no Instituto do Cérebro

Médico ganhou na categoria Rio, superando o cantor Zeca Pagodinho
 

Paulo-Niemeyer-FilhoAquilo que muitos pacientes já sabiam, agora é oficial: Paulo Niemeyer Filho faz a diferença. O neurocirurgião foi um dos vencedores do Prêmio Faz a Diferença, do jornal O Globo. Ele ganhou na categoria Rio, superando outro forte candidato, o cantor Zeca Pagodinho. O resultado é um reconhecimento ao trabalho pioneiro desenvolvido pelo médico no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, inaugurado pela Secretaria de Saúde em 2013.

 

A premiação já está em sua décima primeira edição e é uma homenagem aos brasileiros que mais contribuíram para transformar o país. Os premiados foram escolhidos por um júri formado por jornalistas, vencedores do ano anterior e pela soma do voto popular, através do Globo na internet, a partir de listas tríplices feitas pela equipe de cada uma das editorias. A festa de premiação acontecerá em março, em data e local ainda a serem definidos.

 

O médico é filho do lendário neurocirurgião Paulo Niemeyer Sênior, que criou um tratamento cirúrgico para a epilepsia e foi pioneiro da microneurocirurgia no Brasil. Também é sobrinho do arquiteto Oscar Niemeyer. Aos 17 anos, ele entrou na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Quinze dias depois de formado, com 23 anos, mudou-se para a Inglaterra, onde foi estudar neurologia na Universidade de Londres.

 

De volta ao Brasil, fez doutorado na Escola Paulista de Medicina. Atualmente, ele é diretor da neurocirurgia do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer. Além disso, ele ainda é professor titular do curso de pós-graduação em neurocirurgia da PUC-Rio. Por suas mãos já passaram o músico Herbert Vianna, o ator e diretor Paulo José, a atriz Malu Mader, o diretor de cinema Fábio Barreto e o diretor de televisão Estevão Ciavatta – marido da atriz Regina Casé, entre outros.

 

Instituto do Cérebro

 

Inaugurada em julho de 2013, a unidade é a primeira do país voltada exclusivamente para o tratamento neurocirúrgico de doenças do sistema nervoso central, como tumores, doenças vasculares e doença de Parkinson e utiliza técnicas inéditas na rede pública. A unidade conta com quatro centros cirúrgicos – dois deles com capacidade de realizar cirurgias neuronavegacionais, operação menos invasiva feita por computador -, nove consultórios, 40 leitos de UTI adulto e quatro leitos de UTI pediátrica, além de dois leitos para pacientes com epilepsia.

 

De agosto a dezembro de 2013, foram realizadas 357 cirurgias e 2.632 atendimentos ambulatoriais no instituto. Só em 2014, até o dia 10 janeiro, a equipe médica da unidade fez 27 cirurgias e 227 atendimentos ambulatoriais.

 

Governo do Rio

0 comentários