Projeto Botinho 2014 começa nas praias do Rio de Janeiro

Vinte mil crianças e jovens do estado aprendem a preservar o meio ambiente
 

Projeto Botinho 2014 começa nas praias do Rio de JaneiroO Projeto Botinho 2014 começa na segunda-feira (06/01), nas praias do estado do Rio. O projeto conta com o apoio da Cedae, por meio da parceria com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, pelo terceiro ano consecutivo. O projeto contará com cerca de 20 mil crianças e jovens inscritos – de 7 a 17 anos – que, durante três semanas, recebem noções de preservação do meio ambiente, cuidados com riscos de afogamento, primeiros socorros e orientações quanto às condições do mar, além da prática de atividades físicas na areia em mais de 30 praias em todo o estado.

 

A Cedae como parceira do projeto cedeu uniformes, barracas, material esportivo, água, squeeze e também forneceu às crianças cartilhas sobre uso racional da água.

 

O projeto acontece, durante três semanas de janeiro, nas praias do estado. De segunda a sexta-feira, das 8h às 11 horas, em que os participantes são divididos em três turmas: Golfinho, de 7 a 11 anos, Moby Dick, de 11 a 14 anos, e Tubarão, de 15 a 17 anos.

 

A colônia de férias do Botinho acontecerá em Angra, Arraial do Cabo, Barra da Tijuca, Barra de Guaratiba, Búzios, Cabo Frio, Cavaleiros e Copacabana, Farol de São Tomé, Flamengo, Icaraí, Iguaba, Ilha do Governador, Mabucaba, Mangaratiba, Peró, Piratininga, Piscinão de São Gonçalo, Ponta Negra, Pontal de Parati, Piscinão de Ramos, Praia Brava, Praia Seca, Recreio, Santo Antonio, Saquarema, São Conrado, São Francisco de Itabapoana, São João da barra, São Pedro da Aldeia, Sepetiba, Itaipuaçu.

 

“Este projeto coordenado pelo Corpo de Bombeiros possivelmente é a maior colônia de férias do país e dezenas de milhares de crianças, a maioria carentes, participam durante 3 semanas em praias que vão do norte a sul do Estado destas ações que são emocionantes, pois estão relacionados com bem estar, educação ambiental, disciplina e trabalho em grupo”, destacou o presidente da Cedae, Wagner Victer.

 

Governo do Rio

0 comentários