Secretaria de Saúde participa de ações em comemoração ao Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase

Ações visam informar e esclarecer a população sobre a doença
 

hanseniase

 

Na segunda, dia 26, será celebrado o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase. Para comemorar a data e conscientizar a população sobre a doença, a gerência de Dermatologia Sanitária (GDS) da Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com as Secretarias Municipais e o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN), desenvolverá atividades entre a semana que antecede a data até fevereiro. As ações, que começam já na próxima segunda-feira, 20 de janeiro, visam informar e esclarecer a população sobre os sinais e sintomas da doença, a importância do diagnóstico precoce, da adesão ao tratamento e da cura. Para isso, serão utilizados materiais educativos impressos que serão distribuídos à população em diversos municípios do estado.

 

 

 

Além disso, no Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase, técnicos da SES participarão do evento Ação Global, que será realizado em Itaboraí. Lá, também haverá distribuição de material informativo sobre a doença e estande onde a população poderá tirar dúvidas.

 

 

 

A doença – A hanseníase é um grave problema de saúde pública devido ao alto potencial incapacitante. Trata-se de uma doença infectocontagiosa crônica, que atinge, principalmente, as células cutâneas e células dos nervos periféricos, porém tem tratamento e cura. As deformidades físicas podem ser evitadas com o diagnóstico precoce.

Alguns dos sintomas da hanseníase são manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas pelo corpo, diminuição da sensibilidade ao calor, à dor e ao tato e caroços e inchaços pelo corpo.

 

 

 

Situação epidemiológica – Segundo dados de 2012, a hanseníase fez 1.522 novos casos no estado do Rio de Janeiro, sendo 79 deles em menores de 15 anos. No mesmo período, foram diagnosticadas 135 pessoas já com incapacidades físicas mais severas no estado, muitas vezes necessitando de procedimentos fisioterápicos de maior complexidade ou intervenção cirúrgica. Os números da doença vêm caindo nos últimos anos no país. Dados recentes do Ministério da Saúde mostram que a taxa de prevalência de hanseníase caiu 65% nos últimos 10 anos, passando de 4,33 por 10 mil habitantes, em 2002, para 1,51 em 2012.

 

 

 

Ações da GDS – A Gerência de Dermatologia Sanitária da SES vem realizando a capacitação dos profissionais de saúde dos municípios com o objetivo de aumentar as ações de busca, diagnóstico e tratamento dos casos, divulgando os sinais e sintomas desta doença junto à população em geral, como também identificando e resolvendo as dificuldades que impedem a oferta de serviços de melhor qualidade.

 

 

 

– Acreditamos que divulgar os sinais e sintomas da endemia continua sendo a melhor estratégia para eliminarmos a hanseníase em nosso estado – afirma a gerente de Dermatologia Sanitária da SES, Kédman Trindade Mello. 

 

 

Assessoria de Comunicação | Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro

 

 

0 comentários