Suspeito de jogar noiva do terraço vai para presídio no RJ

Leonardo Oliveira se entregou à polícia e está preso em São Gonçalo
 

 

Nívia, que havia acabado de concluir o curso de Direito, deixa uma filha de 2 anos e uma irmã de 7 (Foto: Reprodução / Facebook)

O homem suspeito de jogar a ex-noiva do terraço de casa em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, foi encaminhado ao presídio Patrícia Acioli, no mesmo município, na tarde de domingo (5). Segundo a delegada da 73ª DP (São Gonçalo), Norma Lacerda, ele se entregou à polícia na madrugada de sábado (4), após a morte cerebral da estudante, mas negou ter cometido o crime.

 

 

O caso aconteceu na noite do réveillon. Segundo a família da moça, o técnico em eletrônica Leonardo Carvalho Oliveira invadiu a casa, agrediu a estudante e depois a jogou do terraço, que fica a oito metros do chão.

 

 

De acordo com a polícia, a jovem sofreu diversas ameaças do ex-noivo. Nívia de Araújo, de 24 anos, teve traumatismo craniano ao cair no terreno do vizinho. Ela havia terminado o noivado dias antes.

 

O suspeito chegou a registrar um boletim na delegacia, dizendo que Nívea caiu quando tentava pegar uma roupa no varal. Após se entregar, Leonardo continuou afirmando a versão de que não participou da morte e deu indícios de que ela teria se jogado.  O Leonardo disse que após invadir a casa e discutir com Nívia, os dois subiram as escadas, ele atrás e ela na frente, e que pouco antes de chegar ao terraço ela teria corrido em direção ao parapeito e caído. Segundo ele, só deu tempo de tentar segurá-la pelo vestido”, contou a delegada.

 

 

Leonardo também contou aos policiais que a jovem teria mandado uma mensagem para a família dele dizendo que daria fim a própria vida se o relacionamento não fosse reatado. No entanto, amigos de Nívia negam e versão e confirmam que o técnico em eletrônica ameaçou a jovem por mensagens no celular. Os aparelhos celulares, tanto da vítima quanto do suspeito, estão sendo periciados.

 

 

“Não há dúvidas de que ele cometeu o crime”, disse Norma Lacerda. Leonardo foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e cruel e foi preso temporariamente por 30 dias. Segundo a Polícia Civil, serão ouvidos ainda o PM e o bombeiro que participaram do resgate, além do vizinho, dono da casa onde Nívia caiu.

 

 

A polícia afirmou ainda que o inquérito será encaminhado ao Ministério Público para que seja pedida a prisão preventiva de Leonardo.O suspeito tem dois antecedentes criminais por agressões contra uma outra ex-companheira.

 

Nívia, que havia acabado de concluir o curso de Direito, deixa uma filha de 2 anos. A família doou todos os órgãos da jovem. 

 

G1

0 comentários