Faetec forma mão de obra para o Carnaval e produção teatral

Escola de Artes Técnicas da Mangueira oferece 800 vagas em cursos profissionalizantes
 

A Escola de Artes Técnicas (EAT) Luis Carlos Ripper, da Faetec (Fundação de Apoio à Escola Técnica), abre amanhã inscrições para cursos voltados para os bastidores do Carnaval e produção teatral. No total, são 800 vagas distribuídas em 18 qualificações gratuitas, como Confecção de Adereços, Costura de Fantasias, Carpinteiro, Efeitos Especiais, Maquiagem e Iniciação Teatral. As oportunidades na unidade da Mangueira estarão disponíveis até quinta-feira (27/2) e as aulas, com duração de seis meses, começam em 10 de março.

 

 

Primeira instituição de ensino neste formato na América Latina, a EAT conta com a chancela da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e formou mais de 3 mil alunos.

 

 

“A escola consegue inserir no mercado de trabalho pessoas que não possuem escolaridade completa”, explicou o diretor da EAT, Marcelo Reis.

 

 

Da capacitação para o mercado de trabalho

Moradora de Niterói, Sueli Barbosa, de 63 anos, se formou em 2013 no curso de Aperfeiçoamento, Modelagem e Confecção de Adereços. Após um estágio na escola de samba mirim Mangueira do Amanhã, a aposentada foi efetivada como aderecista. Ela também presta serviços para a Estação Primeira de Mangueira e a Mocidade Independente de Padre Miguel.

 

 

“O curso abriu muitas portas profissionais e mudou minha vida. Estava aposentada, sem fazer nada em casa e, agora, ajudo a dar brilho ao Carnaval. É um setor que oferece muitas oportunidades de trabalho e quero, cada vez mais, mergulhar nesse universo. Meu plano, agora, é fazer um curso de Arameiro”, afirmou Sueli.

 

 

Com 80 anos, a enfermeira aposentada Maria Alice do Salles também trabalha na Mangueira do Amanhã, como costureira. A moradora do Méier se rendeu aos encantos da arte do Carnaval após fazer a capacitação na unidade, no ano passado.

 

 

“Me apaixonei pelo ofício, que transforma tecidos em verdadeiras obras de arte. É um privilégio trabalhar todos os dias em um barracão na Cidade do Samba”, disse Maria Alice.

 

 

Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

 

 

0 comentários