MIS recebe investimento de R$ 56 milhões do Prodetur

Maior obra do programa, Museu da Imagem e do Som tem previsão de entrega para dezembro
 

Considerado um marco turístico da capital do Rio antes mesmo de ser inaugurado, o Museu da Imagem e do Som (MIS) está com as obras em ritmo acelerado e tem previsão de entrega para dezembro deste ano. O museu, construído na Praia de Copacabana, é um dos empreendimentos que receberá maior volume de recursos entre os projetos apoiados pelo Prodetur (Programa de Desenvolvimento ao Turismo). O prédio – erguido pelo Governo do Estado, por meio das secretarias de Obras e de Cultura, em parceria com a Fundação Roberto Marinho – conta com investimento de R$ 56 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).  

 

 

Com cerca de 10 mil metros quadrados, o museu tem uma arquitetura que não vai passar despercebida. O local terá teatro, cinema, loja, cafeteria de 100 lugares estendida até o calçadão, restaurante panorâmico, bar, mirante e boate. Um espaço com 300 lugares também estará disponível.

 

 

“O MIS é o ícone do Prodetur no Rio”, afirmou o coordenador executivo do programa, Vicente Loureiro. 

 

 

Quem passa pela Avenida Atlântica pode acompanhar as obras para levantar os sete andares na superfície e outros dois no subsolo. São aproximadamente 180 operários trabalhando nas intervenções, realizadas pela Emop (Empresa de Obras Públicas). 

 

 

“Tudo aqui é diferenciado. O concreto armado, por exemplo, é especial. A esquadria que será usada na fachada teve que ser trazida de Portugal. Todos estes ângulos da estrutura são complexos”, explicou o presidente da Emop, Ícaro Moreno. 

 

 

Estrutura pronta em junho

A partir de junho, os moradores e turistas de Copacabana poderão ver a estrutura de concreto do museu toda pronta. 

 

 

De acordo com a secretária de Cultura, Adriana Rattes, a escolha da Praia de Copacabana para ser o endereço do MIS, que hoje fica no centro do Rio, está ligada ao caráter plural do bairro, um dos cartões postais mais conhecidos do mundo.

 

 

Espaços arrojados para o público

“O bairro é de fácil acesso, recebe um grande contingente de visitantes, e ainda serviu de inspiração para os músicos, escritores, artistas plásticos, pensadores e fotógrafos cujos trabalhos moldaram a cultura do Brasil. O prédio que estamos construindo tem um projeto arrojado, de incrível arquitetura, com espaços pensados para que o público desfrute de um acervo maravilhoso, com imagens, objetos, textos e outras formas de expressão que compõem uma espécie de relicário da cultura do Rio de Janeiro e do país”, disse a secretária. 

 

 

Além do acervo do MIS, o novo espaço abrigará obras do Museu Carmen Miranda, hoje localizado no Flamengo.




Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

 

 

0 comentários