Programa de Desenvolvimento do Turismo avança no interior

Recursos são investidos em obras de infraestrutura e ações de incentivo ao setor
 

Depois de superar embargos ambientais e destravar negociações, o Governo do Estado está avançando na execução dos projetos do Programa de Desenvolvimento do Turismo. Coordenado pelas secretarias de Obras, de Turismo e do Ambiente, o Prodetur-RJ conta com verba de 112 milhões de dólares do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e US$ 75 milhões de contrapartida estadual para executar 65 operações em 23 municípios fluminenses.

Turismo-Teresopolis-Fotos-Alexandre-Costa

Voltado para fomentar a atividade turística no interior, com foco em infraestrutura, qualificação e promoção, o Prodetur-RJ teve sua primeira obra inaugurada no domingo (9/2). A estrada-parque Mauá-Maringá (RJ-151) foi entregue no momento em que diversos projetos começam a sair do papel.

 

“O Prodetur está deslanchando. Enfrentamos questões ambientais e de território, mas agora temos dez operações em execução e seis já licitadas. Outras dez estão sem pendências técnicas em fase de publicação do edital e 12 estão em fase final de tramitação para publicação dos editais. Até o fim do carnaval, 38 operações estarão em curso”, afirmou Vicente Loureiro, coordenador executivo do programa.

 

A previsão do Estado é de que os demais projetos sejam resolvidos ainda no primeiro semestre deste ano. Entre os 27 restantes, sete estão em estágio avançado de conclusão e outros seis dependem de concursos públicos já contratados e em execução.

 

Aumento de visitantes

Entre as obras em andamento estão as intervenções de revitalização de pontos turísticos de Conservatória, distrito de Valença, no Vale do Café. A cidade das serestas está recebendo cerca de R$ 13 milhões para reformar sua estação ferroviária e locomotiva, além da Praça Getúlio Vargas, palco de apresentações culturais. O Túnel Que Chora, a Igreja Matriz de Santo Antonio e a área central do distrito também ganharam iluminação especial para valorizar suas características históricas.

 

A aposentada Aida Coutinho, de 79 anos, acompanha o andamento das obras na cidade onde nasceu. A expectativa por ver Conservatória voltar a atrair um número maior de turistas está entre as rezas feitas na igreja, que ganhou melhorias.

 

“O número de turistas tinha diminuído um pouco, mas aposto que agora eles vão voltar para ver a cidade mais bonita”,  disse dona Aida.

 

Governo do Rio

0 comentários