Recicláveis viram máscaras, bolsas e cinzeiros ecológicos para foliões no Carnaval 2014

Durante as aulas, os alunos aprendem a confeccionar de forma artesanal kits compostos por máscaras, bolsinhas para guardar documento e celulares, entre outros
 

Há um mês do Carnaval 2014, foliões cariocas já podem começar a elaborar suas fantasias para desfilar pelos blocos da cidade. E se for de maneira ecológica e sustentável, melhor ainda. Pensando nisso, o Galpão das Artes Urbanas da Comlurb, na Gávea, iniciou nesta terça-feira (04/02) a oficina gratuita de confecção de máscaras e kits de carnaval, utilizando materiais reciclados. A novidade este ano está por conta da produção de cinzeiros portáteis para os eco-foliões depositarem a guimba e não jogarem lixo nas ruas.
oficina-de-reciclagem
 

“É uma oficina voltada para a educação ambiental e para o desenvolvimento da criatividade e a transformação do olhar. É a pessoa saber que pode transformar o frasco em alguma coisa útil. Mais do que isso, esse ano estamos lançando o cinzeiro ecológico, pensando na campanha Lixo Zero. Ele é feito com tampas de embalagens e a falta de oxigênio dentro do recipiente é que faz com que a guimba apague. Ele comporta até oito guimbas de cigarro e depois é só descartar no lixo a sujeira. Com tudo isso, a gente vê que é possível o folião sair no bloco ecológico do carnaval, brincando, pulando, mas com consciência e contribuindo com a limpeza da cidade”, explicou a artista plástica Ana Velho, que ministra a oficina.

 

As aulas têm duração de duas horas, sempre das 10h às 12h, e prosseguirão por todas as terças-feiras de fevereiro, dias 11, 18 e 25. Haverá um desfile, no dia 25, às 11h30, com todo o material produzido pelos participantes nas quatro aulas. Ainda há vagas e os interessados em participar devem inscrever-se pelo e-mail galpaodasartes@gmail.com ou pelo telefone (21) 3874-5148.  

 

Foi através da internet que a também artista plástica e guia de turismo, Carmem Giovani, 58 anos, moradora de Botafogo, ficou sabendo das aulas e se interessou. Ela vê na oficina uma oportunidade de aprender e de ensinar jovens carentes a terem uma fonte de renda:

 

“Faço um trabalho social no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, e lá desenvolvo atividades com material reciclado. Tenho muita preocupação com o lixo e, por isso, achei fantástica essa oficina e me inscrevi para participar. Quero aprender aqui as técnicas para poder replicar este conhecimento com os jovens da comunidade e, quem sabe, transformar esse trabalho em fonte de renda pra eles. Aqui descobrimos um novo olhar para as coisas, olhar este que na verdade deveríamos ter em tudo. E vivemos num país que praticamente respira carnaval o ano inteiro, por isso, acho que esses jovens podem se dar bem fazendo esses adereços”, contou.

 

Durante as aulas, os alunos aprendem a confeccionar de forma artesanal kits compostos por máscaras, bolsinhas para guardar documento e celulares, chaveiros e serpentinas feitos com embalagens plásticas, como frascos de shampoo, de material de limpeza (amaciante, água sanitária), garrafas de leite e de água mineral. Eles fabricam também guirlandas de confetes de tampinhas coloridas e máscaras confeccionadas com sobras de tecido EVA, doados por uma fábrica parceira do galpão.  

 

Bastante entretida com a confecção da máscara carnavalesca, a jovem Isis Medalla, estudante de desenho industrial, 24 anos, aprovou e elogiou a iniciativa:

 

“Sempre passo por aqui e tinha curiosidade de conhecer o galpão. Fiquei sabendo do curso e resolvi me inscrever. Estou achando incrível esta oficina. É uma maneira de olhar diferente para as embalagens. Tem coisa aqui que eu nunca imaginava que podia se transformar, como o frasco do shampoo que pode virar uma bolsa. É realmente uma proposta muito interessante e que vem num momento muito apropriado, próximo ao carnaval, uma época em que as pessoas podem usar esses kits e também o cinzeiro, diminuindo a sujeira nas ruas”.

 

O Galpão das Artes Urbanas fica na Avenida Padre Leonel Franca, s/nº, Gávea, sob o Viaduto Lagoa-Barra, em frente ao Planetário da Cidade.

 

Prefeitura do Rio

0 comentários