Cães treinados vão atuar nos jogos da Copa do Mundo no Rio

Batalhão de Ação com Cães vai reforçar segurança nos estádios
 

treinamento-caesUm grupo de 12 labradores e pastores alemães do Batalhão de Ação com Cães (BAC) iniciaram ontem as aulas do curso de farejadores de armas e drogas. Após três meses, se aprovados, eles se juntarão ao time de seis veteranos para reforçar a segurança na Copa do Mundo.

 

Os agentes formados pelo Cacep (Curso de Adestradores de Cães para Emprego Policial) participam do treinamento, que foi adaptado para atender grandes eventos. Os condutores e os animais vão atuar em pontos estratégicos na cidade, como no interior e no entorno do Maracanã.

 

“O cão é um instrumento muito importante na busca de armas e drogas, porque tem um faro 250 vezes mais apurado do que o ser humano. Eles vão atuar antes, durante e depois das partidas para evitar transtornos. Depois, estarão aptos a servir a sociedade em operações em comunidades”, afirmou o comandante do BAC, tenente-coronel Julio Cesar Mafia Martins.

 

Pré-seleção é fundamental

 

A turma de alunos caninos é formada por filhotes de até um ano de idade. Entre os mais novos, com apenas três meses, estão os descendentes do grande farejador Boss. Para entrar no grupo de treinamento, todos passaram por um período de observação para checar se tinham aptidão para o trabalho policial.

 

Quando eles completam 30 dias começamos a socialização e o contato com o brinquedo. Eles precisam mostrar vontade intensa de caçar, de ficar com o objeto e não podem demonstrar medo. Também devem interagir bem com o policial e serem independentes – explicou o coordenador do curso, major Sandro Aguiar.

 

Até o final do treinamento, os cães farão estágio de uma semana em comunidades do Rio com os experientes Boss, Brita, Scott e Beethoven. Apenas no ano passado, os animais encontraram 4,5 toneladas de drogas.

 

Governo do Rio

0 comentários