Jogador francês Lilian Thuram troca experiências com alunos do Dupla Escola

O ex-jogador tem visitado estudantes de diversos países, a fim de debater assuntos como racismo, sexismo e homofobia
 

Jogador-frances-Lilian-ThuramO Ciep 449 Governador Leonel de Moura Brizola, em Niterói, primeira escola pública do país a receber Ensino Médio Intercultural com foco na Língua Francesa, recebeu nesta quinta-feira (13/3) a visita do ex-jogador da seleção francesa de futebol, Lilian Thuram. Campeão do mundo pela seleção francesa em 1998, o ex-jogador, que criou uma fundação de combate à desigualdade e ao racismo, trocou experiências com mais de 100 estudantes do programa Dupla Escola e de uma instituição da rede privada de ensino.

 

Durante a palestra, os alunos se dividiram em seis grupos para fazer perguntas, em francês, para o convidado. Aluna do primeiro ano do Ensino Médio, Victória Correa, de 14 anos, aprovou o intercâmbio cultural.

 

“É muito estimulante ver um palestrante contar suas experiências no idioma que buscamos aperfeiçoar. A formação em um colégio bilíngue irá nos valorizar e aumentar nossas chances profissionais”, disse a estudante.

 

Lilian Thuram ressaltou o objetivo do encontro. O ex-jogador tem visitado estudantes de diversos países, a fim de debater assuntos como racismo, sexismo e homofobia.

 

“Busco conscientizar os jovens, para que se lembrem que a hierarquia baseada na cor da pele é extremamente violenta e afeta o que temos de mais essencial, que é a nossa autoestima. Estes estudantes têm direito de aspirar ao melhor e precisam de exemplos que possam inspirá-los. Experiências como estas me enriquecem e me ajudam a compreender como é a problemática do racismo em outros países. O primeiro passo para superar o preconceito racial é ter consciência de que ele existe”, afirmou Thuram.

 

“É um privilégio poder estudar em uma escola bilíngue. A palestra sobre racismo foi muito interessante, sobretudo por ter sido feita no idioma francês, com tradução simultânea, e por alguém que passou por experiências negativas sobre o tema”, afirmou a aluna Ágatha Lavina, de 16 anos.

 

O ensino bilíngue Português-Francês teve início no Ciep em fevereiro deste ano, e é fruto da parceria entre a secretaria de Educação e a Académie de Créteil, com apoio da Embaixada da França. Neste modelo pedagógico, além do ensino estrutural da língua francesa, os alunos aprimoram sua compreensão auditiva e expressão oral, a partir de um trabalho interdisciplinar.

 

“Toda a escola se enriquece por meio do contato com outras culturas. Além das 16 horas semanais do idioma Francês, os alunos têm 10% das disciplinas básicas lecionadas na língua francesa”, disse a diretora da unidade, Jane Chagas, enfatizando que a escola irá participar do encontro internacional ‘Francofonia’, na próxima semana, com o objetivo de desenvolver proficiência no idioma.

 

A assessora pedagógica da secretaria de Educação, Patrícia Tinoco, ressaltou a importância da ação.

 

“Nossa proposta vai além do cognitivo. Usamos estes instrumentos educacionais, que contribuem para a formação do aluno em uma totalidade, preparando-os para a vida. Estamos promovendo ainda intercâmbios entre alunos e professores franceses com o Ciep”, afirmou Patrícia.

0 comentários