“Festival Visões Periféricas” no Oi Futuro Ipanema de 18 a 23 de agosto

O evento começa terça-feira, dia 18 de agosto, com a exibição do documentário “Funk Brasil”, às 18h30
 

vp

 

 

O Oi Futuro apresenta a partir de 18 de agosto o Festival Visões Periféricas, que este ano homenageará o funk carioca. Com 81 filmes, a 9ª edição do festival abrirá com a estreia do documentário Funk Brasil, no Oi Futuro em Ipanema, às 18h30. O evento, que inclui ainda um seminário, vai até o dia 23 de agosto no centro cultural em Ipanema, em diferentes cineclubes, salas de cinema e pelo site: http://www.visoesperifericas.org.br

 

 O Funk está mais triste

 

O evento objetiva compor um painel que amplie e problematize esteticamente a noção de periferia e represente o tamanho e a diversidade do país por meio da produção audiovisual.  Produções audiovisuais construídas em diferentes plataformas, com formatos, linguagens, duração, narrativas e estéticas distintas. Cabe de tudo na ampla e diversificada grade de filmes da edição 2015 do festival Visões Periféricas.

 

Valesca Popozuda beija fã no Barra Music

 

Para compor este mosaico, além da exibição de filmes, o festival traz reflexões e debates sobre diferentes temas que formam este universo com a realização do seminário “Deseducando o olhar”. Este ano a programação conta com debates que contemplam desde o universo do funk até as diferentes formas de produção audiovisual na periferia.

 

 

Com 81 filmes selecionados em 2015 (dentre 451 inscritos) e distribuídos em quatro mostras competitivas e três mostras informativas (não competitivas), o festival apresenta um amplo panorama da produção e expressão das diferentes periferias que compõem a cultura brasileira.  A curadoria deste ano está a cargo do diretor Emílio Domingos (Batalha do Passinho) e André Sandino (cineclubista e curador de festivais de cinema).

 

 

 

Espírito Santo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal, Goiás, Paraná, Amazonas, Alagoas, Bahia, Sergipe e Paraíba. Realizadores, coletivos e estudantes de treze estados do Brasil estão representados nesta edição – espelhando a abrangência e importância do festival entre os produtores independentes e escolas de audiovisual do país.

 

 

A participação internacional é garantida Mostra Colômbia, onde serão exibidos curtas produzidos nas periferias do país e que contará com a presença de uma delegação de 18 produtores de audiovisual da cidade de Medellín.

 

 

“O Visões Periféricas é o único com este perfil no Brasil e é realizado com regularidade há quase uma década, o que não é algo trivial”, avalia Marcio Blanco, idealizador do festival. “E ele mostra a produção destes territórios e valoriza os realizadores, independente de onde sejam. Nosso interesse é visibilizar uma estética viva, real e íntima das periferias e isto acaba sendo o nosso diferencial”, completa.

 

 

 

Funk: expressão cultural carioca

Quebrando a tradição das edições anteriores, quando o festival escolhe uma personalidade para ser homenageada, este ano o Visões Periféricas vai visibilizar uma expressão cultural: o funk carioca.   O longa documentário Funk Brasil, com cinco episódios dirigidos por Luciano Vidigal, Marcelo Gularte, Júlio Pecly, Paulo Silva, Rodrigo Felha, Christian Caselli e Cavi Borges, terá estreia nacional na abertura do festival.

 

 

 

0 comentários