Operação Lei Seca continua salvando vidas

5,2 mil vidas salvas pelas blitzes
 

Desde 2009, quando começaram, já foram salvas mais de 5,2 mil vidas. Até agora, as blitzes abordaram 400.440 motoristas no Grande Rio e foram realizados 379.053 testes com etilômetro

Mais algumas dezenas de vidas foram salvas na primeira semana de fevereiro, somando-se às mais de 5,2 mil contabilizadas até janeiro deste ano, graças aos rigores da Operação Lei Seca, instituída em 19 de março de 2009. De lá até agora, as blitzes abordaram 400.440 condutores de veículos no Grande Rio e foram realizados 379.053 testes com etilômetro, que representa 95% dos motoristas abordados.

Do total de abordagens, 65.621 motoristas foram multados, 18.298 tiveram os veículos rebocados e 27.156 carteiras de habilitação foram recolhidas. Até agora, os agentes flagraram mais de cinco mil condutores dirigindo sob efeito de álcool. Desses, 3.759 sofreram sanções administrativas e 1.336 criminais.

No primeiro mês de 2011, foram abordados 6.860 motoristas e 684 tiveram a carteira de habilitação recolhida, foram aplicadas 1.581 multas e 368 carros, rebocados. Com a realização durante o mês de 6.226 testes com etilômetro, 91 condutores foram punidos por dirigir embriagados: 57 sofreram sanções administrativas e 34, criminais.

Lançada em 2009, pela Secretaria de Governo, com o objetivo de reduzir o número de acidentes e de vítimas de trânsito, a Operação Lei Seca é uma campanha educativa e de fiscalização, de caráter permanente, que abrange os bairros da Capital e municípios da Região Metropolitana (Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá) e da Baixada Fluminense. As ações são desenvolvidas nas vias com maior número de acidentes – como é o caso, por exemplo, das avenidas Brasil e das Américas, campeãs de colisões e atropelamentos, e perto de locais de grande concentração de pessoas, principalmente à noite.

– Nosso único objetivo quando lançamos esse projeto foi a preservação da vida – enfatiza sempre o coordenador da Operação Lei Seca, Carlos Alberto Lopes.
 

Fonte: Gov Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.