“Os Miseráveis” é tema da revista História Viva

Na época de sua publicação, Victor Hugo tinha 60 anos e já desfrutava de grande prestígio
 

“Os Miseráveis”, obra-prima do francês Victor Hugo é uma das matérias de fevereiro da revista História Viva, da Duetto Editorial. Publicado em 1862, logo as quase 2 mil páginas do livro se espalharam pelo mundo, graças à força de personagens como Javert e Jean Valjean. 

Na época de sua publicação, Victor Hugo tinha 60 anos e já desfrutava de grande prestígio. Tinha escrito clássicos como O Corcunda de Notre Dame, mas nada foi maior em sua obra do que a epopeia de seus personagens pobres, sujos e desvalidos.

Em Os Miseráveis, o conflito de classes que começava a emergir e a ganhar cada vez mais força com o inicio do processo de industrialização na Inglaterra e na França, o autor do romance escolheu um lado e não se preocupava em esconder sua posição. Estruturou seu livro em volta de personagens até então invisíveis para o resto da sociedade, como o forçado das galés ou a prostituta sem dentes, esfarrapada e doente.

A obra é drama, sim, comédia, um pouco, mas é também ação e suspense na perseguição implacável de um personagem a outro, no duelo de inteligências e estratégias pelas ruas de uma Paris que começava a adentrar na era moderna, com todas as maravilhas e os horrores dessa transformação.

A história da obra-prima
Victor Hugo iniciou “Os Miseráveis” quase 40 anos antes de publicar o romance. Tinha 22 anos quando, em 1824, começou a colher informações sobre a colônia penal de Toulon, onde sai o protagonista Jean Valjean.

Em 1843, perdeu a filha, Léopoldine. Dois anos depois, o escritor foi flagrado num caso extraconjugal com Léonie Biard, que foi enviada a uma prisão e depois a um convento. Ele se fechou em casa e começou a escrever a obra.

No ano de 1851, Victor participou de uma frustrada tentativa de resistência ao golpe que instaurou o império de Napoleão III e vai para o exílio. O imperador ainda iria lhe oferecer anistia, mas o escritor não foi muito amistoso na resposta. “Quando a liberdade voltar, eu voltarei”, disse.

Foi no exílio que ele terminou de escrever Os Miseráveis, mais precisamente em Mont-Saint-Jean, na Bélgica, nas proximidades do campo da Batalha de Wartello.

Oscar 2013
Os Miseráveis inspirou dezenas de filmes por todo o planeta, do Japão ao Brasil. As duas primeiras películas baseadas no romance de Victor Hugo, On the barricade e le chemineau, datam de 1907, nos primórdios do cinema. O mais recente deles, estreou no Brasil neste mês, e é indicado a oito estatuetas do Oscar que acontece dia 24 de fevereiro. O filme conta com a direção de Tom Hopper, vencedor do Oscar por “O Discurso do Rei”, e os atores Hugh Jackman, Russel Crowe e Anne Hathaway.

 

Assessoria

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.