Paes anuncia construção de conjunto habitacional

Serão construídas 2.500 unidades habitacionais no antigo Frei Caneca
 

O prefeito Eduardo Paes e o governador Sérgio Cabral anunciaram a construção de 2.500 unidades habitacionais no terreno onde ficava o presídio Frei Caneca, no Centro, que serão utilizadas para reassentar os moradores das comunidades dos Prazeres e do Fogueteiro que perderam suas casas nos deslizamentos ocorridos na última semana. O anúncio foi feito durante visita ao terreno, que foi doado pelo Governo do Estado à Prefeitura do Rio.

De acordo com o prefeito Eduardo Paes, as famílias dessas comunidades estão sendo identificadas, acompanhadas e recebendo toda a assistência da Prefeitura:
– Nosso papel é dar o máximo de garantia de que essas pessoas vão permanecer vivas ao fazer com que elas saiam dessas áreas de risco. Estamos acompanhando as famílias e pagando o Aluguel Social, no valor de R$ 400, para que elas encontrem uma moradia provisória até que a obra do conjunto habitacional seja concluída. Esse auxílio vai valer até essas pessoas entrarem no imóvel em definitivo e legalmente – destacou Paes.

– Nosso objetivo é permitir que essas pessoas possam dormir em paz quando tiver uma chuva. Aqui será um condomínio com financiamento do programa "Minha Casa , Minha Vida", do Governo Federal e da Caixa Econômica, em que a Prefeitura vai pagar as prestações dos financiamentos para permitir que as famílias venham para cá sem nenhum custo – explicou o prefeito.

Durante a visita ao terreno, o governador Sérgio Cabral destacou a importância da integração dos três níveis de governo para beneficiar o mais rapidamente possível as famílias que estão desalojadas:

– A prioridade agora é para as pessoas que estão morando em áreas com risco iminente de vida. É uma união de esforços para oferecer moradia em áreas seguras. Hoje o Governo do Estado lançou o edital para a escolha da empresa construtora, que será feita até o final deste mês. Esperamos começar as obras em um prazo máximo de 90 dias – disse Cabral.

Ainda de acordo com o prefeito, todas as famílias em áreas de risco das outras seis comunidades atingidas pelas chuvas (Urubu, São João Batista, Cantinho do Céu, Pantanal, Laborioux e Parque Colúmbia) serão reassentadas em outros conjuntos habitacionais em construção pelo município ou receberão da prefeitura a opção do programa de Aquisição Assistida.

– A Geo-Rio já está fazendo um mapeamento geológico da cidade para identificar outras áreas de risco. Onde houver possibilidade vamos fazer as obras de contenção, onde não houver, o caminho será o reassentamento. A Prefeitura já identificou a existência de imóveis seguros no Município disponíveis para todas essas pessoas. Nenhuma família ficará em área de risco sem atendimento do poder público – ressaltou o prefeito, destacando que elas não perderão o vínculo com a comunidade de origem.

– As pessoas serão reassentadas com dignidade nos locais mais próximos possíveis à comunidade onde moravam para que continuem estudando nas mesmas escolas, frequentando o mesmo posto de saúde, utilizando os mesmos meios de transporte para se deslocarem – concluiu.
Texto: Juliana Romar
Fotos: Beth Santos

 

 

Fonte: Prefeitura do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.