Paes participa do lançamento do Programa de Fomento às Artes

Os interessados poderão se inscrever a partir de 1º de julho até 15 de agosto, através do site da Secretaria Municipal de Cultura do Rio
 

Fotos: Paula Johas 

 
Na terça, dia 21 de junho, o prefeito Eduardo Paes participou do lançamento do Programa de Fomento às Artes — edital de incentivo à produção cultural da cidade —, no Palácio da Cidade. Com investimento de R$ 25 milhões, a iniciativa contempla 13 linhas de ação inseridas em mais de 180 projetos, valorizando e incrementando a realização de eventos nas zonas Norte e Oeste.  A nova publicação confirma o compromisso da prefeitura em democratizar o acesso ao financiamento público, com duas novidades: fomento inédito para propostas afro e de matriz africana e publicações literárias exclusivas para jovens escritores cariocas.
 
 
— A cultura é um ativo econômico importante da cidade. Para a prefeitura, as produções culturais exibem o que o Rio tem de mais rico, gerando empregos, por isso a importância de estimular o trabalho de produtores independentes para que seus projetos ganhem visibilidade e se tornem mais um atrativo. Muitas iniciativas já estão programadas para acontecer durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, inclusive os cariocas poderão desfrutar de uma intensa programação cultural gratuita na Orla Conde — disse Paes.
 
 
 
 
Os interessados poderão se inscrever a partir de 1º de julho até 15 de agosto, através do site. Os selecionados serão conhecidos em outubro, com a listagem publicada no Diário Oficial do Município, e a execução dos projetos acontecerá a partir do ano que vem. Os projetos serão avaliados por comissões formadas por especialistas em cada área e representantes da Secretaria Municipal de Cultura (SMC). O programa prioriza projetos em espaços culturais localizados nas zonas Norte e Oeste, que ganharão uma pontuação extra na avaliação dos especialistas.
 

— O programa prioriza regiões que têm menos acesso aos bens culturais produzidos na cidade, como Norte e Oeste, dando prioridade e não exclusividade. É um reconhecimento diferenciado.  A prefeitura tem o objetivo de fazer os espetáculos circularem pelo Rio, criando um ambiente propício ao desenvolvimento da força criativa que existe em cada bairro — destacou o secretário municipal de Cultura, Junior Perim.

 
 
 
 
As 13 linhas de ação estimulam as iniciativas nas áreas de teatro, circo, música, dança, artes visuais, artes integradas, infância, incentivo à leitura, publicações literárias, museus, temática afro e matriz africana e pessoas com deficiência. Após integrar o programa em 2014, o segmento LGBT volta a fazer parte do programa com o financiamento de oito projetos ligados à moda, audiovisual, literatura, teatro, artesanato e outras manifestações.
 
 
 
— O retorno deste incentivo à cultura LGBT é fundamental porque há muita dificuldade de conseguir patrocínio da iniciativa privada. Nada mais significativo que o poder público apoiar e incentivar produções que representam uma atividade artística rica e diversificada — ressaltou o responsável pela Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Ceds), Carlos Tufvesson.
 
 
Para o ator, trapezista e diretor do Grande Circo Popular do Brasil, Marcos Frota, a definição de uma política de incentivo à cultura por parte da Prefeitura do Rio abre espaço para quem vive e depende da arte em qualquer lugar da cidade.
 
 
— A prefeitura é a moldura de um grande quadro, mas a iniciativa de pintar a tela é do artista. Na verdade, trata-se de uma relação de companheirismo que se forma com o lançamento desse programa. 

 

 
O programa vai distribuir R$ 25 milhões para projetos que se enquadrem em alguma das 13 linhas de ação. Serão destinados R$ 11 milhões para o teatro; R$ 2 milhões para a música; R$2 milhões para o circo; R$ 2 milhões para a dança; R$ 1,5 milhão para as artes visuais; R$ 1,5 milhão para a cultura afro e matriz africana; R$ 800 mil para a linha Arte Sem Limites – pessoas com deficiência; R$ 1 milhão para artes integradas; R$ 800 mil para a infância; R$ 400 mil para o incentivo ao hábito de leitura; R$ 500 mil para museus; R$ 800 mil para LGBT e R$ 500 mil para a publicação literária para jovens escritores cariocas. Poderão se inscrever projetos de produção, circulação (por lonas e arenas), pesquisa e apoio a grupos, companhias e eventos. 
 
 
 
 
O investimento do Programa de Fomento às Artes somado ao valor do Programa de Fomento Cidade Olímpica (R$ 13 milhões), lançado em 2016, representa R$ 38 milhões em incentivos da Prefeitura do Rio em projetos culturais cariocas. O lançamento do programa contou com a presença de personalidades do meio artístico, entre eles, os promotores de eventos Perfeito Fortuna, DJ Malrboro, Rômulo Costa (Furacão 2000), o cineasta Cacá Diegues, entre outros.
 
 
 
 
 
 
As 13 linhas de ação
 
  • Teatro – serão selecionados no mínimo 12 projetos de até R$ 300 mil, 25 projetos de até R$ 200 mil e 24 projetos de até R$ 100 mil. Serão avaliadas propostas de produção de espetáculos inéditos, circulação de espetáculos, apoio a grupos e companhias para continuidade de repertório, formação regular ou continuada, pesquisa, eventos ou festivais;

 

  • Circo – serão selecionadas até quatro propostas de programas – polos cariocas de circo, que serão as instituições aceleradoras dedicadas à realização de programas, projetos e atividades que contribuam para o desenvolvimento artístico, técnico, estético e criação de artistas, coletivos, grupos e companhias circenses do Rio, bem como de sua qualificação para criação, organização e fortalecimento de novos empreendimentos artísticos de circo de até R$ 200 mil e no mínimo 10 propostas para produção e montagem de espetáculos inéditos, circulação pela cidade, incluindo circulação de lonas itinerantes, em espaços públicos (sejam eles municipais, estaduais ou federais) e privados, apoio a grupos e companhias para continuidade de repertório, pesquisa, eventos ou festivais de até R$ 100 mil e no mínimo dez propostas para números circenses de R$ 20 mil;

 

  • Música – seleção de propostas de produção de espetáculos inéditos, circulação de espetáculos, apoio a grupos e companhias para continuidade de repertório, formação regular ou continuada, pesquisa, registro fonográfico, eventos ou festivais. Serão selecionados no mínimo oito projetos de até R$ 200 mil e quatro projetos de até R$ 100 mil;

 

  • Dança – linha voltada para cada proposta de produção de espetáculo inédito, circulação de espetáculo, apoio a grupos e companhias para continuidade de repertório, formação regular ou continuada, pesquisa, eventos ou festivais. Serão selecionados no mínimo oito projetos de até R$ 200 mil e quatro projetos de até R$ 100 mil;

 

  • Artes Visuais – voltada para propostas de exposições inéditas, pesquisa e publicação, circulação de exposição, apoio a grupos e coletivos para continuidade de repertório, moda, eventos ou festivais. Serão selecionados no mínimo dez projetos de até R$ 150 mil;

 

  • Artes Integradas – para cada proposta de experiências híbridas de interação estética em produção de espetáculo inédito, circulação de espetáculo, apoio a grupos e companhias para continuidade de repertório, moda, eventos ou festivais. Serão selecionados no mínimo dois projetos de até R$ 200 mil e seis projetos de até R$ 100 mil;

 

  • Infância – propostas de iniciativas culturais e/ou eventos com a temática infância. Serão selecionados no mínimo oito projetos de até R$ 100 mil;

 

  • Incentivo ao hábito da leitura – propostas de incentivo ao hábito da leitura, compreendendo contação de histórias, teatro, publicações e/ou outras atividades/eventos culturais. Serão selecionados no mínimo quatro projetos de até R$100 mil;

 

  • Publicação literária para jovens escritores cariocas – projetos de jovens escritores cariocas de idade entre 15 e 24 anos, segundo o IBGE. Serão selecionados no mínimo dez projetos de até R$ 50 mil;

 

  • Museus – propostas de projetos educativos, estímulo à visitação a museus públicos e privados do Rio, pesquisa, ebooks, sites, aplicativos e congêneres. Serão selecionados no mínimo cinco projetos de até R$ 100 mil;

 

  • Cultura Afro e Matriz Africana – propostas de iniciativa cultural e/ou evento com a temática que promova a cultura e a identidade negra em suas mais diversas linguagens, em qualquer expressão artística e/ou intelectual, apresentados e/ou desenvolvidos em qualquer tipo de suporte, formato, área artística ou mídia, tais como, mas não se limitando a, moda, audiovisual, cultura urbana, gastronomia, literatura, cultura digital, artesanato, teatro e dança, manifestações tradicionais e populares – expressões artísticas e culturais que nascem do conhecimento, dos costumes e das tradições, expressas nos seus saberes, fazeres, práticas e artes, inclusive aquelas produzidas por comunidades e pelos fazedores tradicionais, como samba de roda, congada, afoxé, capoeira, jongo, maracatu, festas de matriz africana, cultura quilombola, artesanato, entre outros. Serão selecionados no mínimo quinze projetos de até R$ 100 mil. Os projetos deverão acontecer prioritariamente no Centro Cultural Municipal José Bonifácio;

 

  • Projetos para pessoas com deficiência – Arte Sem Limites – propostas de projetos culturais de apoio a espetáculos, companhias e processos de formação para pessoas com deficiência. O projeto deverá conter em sua equipe artística o efetivo de pelo menos 50% de pessoas com deficiência. Serão selecionados no mínimo oito projetos de até R$ 100 mil;

 

  • LGBT – propostas de iniciativas culturais e/ou eventos direcionados ao segmento LGBT, tais como, mas não se limitando a, moda, audiovisual, cultura urbana, literatura, teatro, cultura digital, artesanato, teatro e dança. Serão selecionados no mínimo oito projetos de até R$ 100 mil.

 

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.