Palácio do Planalto é blindado após reforma

Palácio em Brasília
 

 O Palácio do Planalto, local da sede do gabinete do Presidente da República, acaba de passar por uma grande reforma, recebendo, entre outras melhorias, setores inteiramente blindados. A obra foi realizada pela Blindaço, empresa paulista especializada em blindagens arquitetônicas, que desenvolveu uma nova expertise para a reforma, já que a blindagem demandava a manutenção das linhas originais de Oscar Niemeyer e a instalação de vidros com peso de uma tonelada. O custo total da revitalização do palácio foi de R$ 111 milhões, sendo que, de área blindada, foram materiais resistentes à balas, incluindo nos vidros da famosa fachada.

Por ser uma construção tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), a blindagem empregada não poderia alterar as características gerais do projeto. Por isso, os reforços das portas e paredes foram realizados de forma a passarem despercebidos ao olhar desatendo de um visitante. Devido ao grau de blindagem e ao peso dos materiais, foi necessário ainda um reforço na estrutura do palácio, que foi inaugurado em 1958. “No Brasil, apenas cinco empresas possuem certificação do exército para efetuar este tipo de reforço a prova de balas em construções. Entre elas, a Blindaço é a única no País que poderia realizar a obra, por conta de todos os agravantes da obra”, explica Carlos Monte Serrat Barbosa, diretor geral da Blindaço.

Outro desafio foi a fachada, desenhada por Niemeyer para que a grande área envidraçada e as colunas desse um ar leveza para a construção. Para manter a intenção original do arquiteto, a Blindaço desenvolveu toda uma logística para fabricar e transportar grandes placas de vidro, na mesma medida das originais. “Não poderíamos modificar o tamanho dos vidros, muito menos adicionar uma estrutura blindada aparente. Por isso, tivemos que acionar todo o nosso departamento de engenharia para não só desenvolver as peças, mas também para elaborar um processo de trabalho que tornasse possível a instalação de peças tão pesadas, o que necessitou, inclusive, da importação de ventosas especiais”.

Os desafios foram agravados pelo curto prazo para a execução da obra. Enquanto o presidente Lula despachava no prédio do Centro Cultural Banco do Brasil, a Blindaço designou uma equipe para se empenhar de forma integral ao projeto, chamada de “linha de frente”, para projetar, fabricar, transportar e instalar os produtos. Entre os profissionais que fizeram parte da equipe estavam três engenheiros, sendo um civil, o outro mecânico e um terceiro para cálculos estruturais. “Contribuímos com o nosso conhecimento, modelamos processos e auxiliamos nas ações de proteção e prevenção do Presidente da República”, orgulha-se Barbosa.

O palácio

Inaugurado em 1958, dois anos antes do resto da capital, Palácio dos Despachos (seu nome oficial) funciona como sede da Secretaria e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, além de ser a base da Casa-Civil. O palácio fica na Praça dos Três Poderes, obedecendo ao Plano Piloto de Lúcio Costa, e foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Em mais de 50 anos, a reforma iniciada ano passado foi a primeira grande obra realizada no local. 

O Palácio do Planalto faz parte dos principais marcos arquitetônicos da capital brasileira, junto com a Catedral de Brasília, o Congresso Nacional, a Esplanada dos Ministérios, o Memorial JK, os do Palácio do Itamaraty e da Alvorada (residência oficial do presidente), entre outros. O Plano Piloto é tombado pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Eduação, Ciência e Cultura) como um dos patrimônios da humanidade.

Fonte: Assessoria

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.