Paraty terá 45 casas populares

Recurso da Alerj
 

O município de Paraty, na Baía da Ilha Grande, vai utilizar a verba de R$ 1 milhão doada pela Assembleia Legislativa do Rio para a construção de 45 casas populares no bairro do Condado, um dos mais atingidos pelas enchentes do Rio Perequê-Açu no início deste ano. A informação foi passada pelo secretário-adjunto de Governo, Rogrigo Penha, que recebeu, nesta quinta-feira (30/07), a deputada Inês Pandeló (PT), membro da Comissão da Alerj instituída para averiguar o uso dos R$ 20 milhões destinados aos municípios mais afetados pelas chuvas no estado. Segundo a parlamentar, que esteve na cidade representando o Legislativo fluminense, a expectativa era de que o processo de construção das casas já tivesse sido iniciado. “Entendo que, em um local como Paraty, tombado pelo patrimônio histórico, o processo que envolve a questão da habitação seja mais lento, mas o projeto é muito bom e a contrapartida da prefeitura para erguer as moradias está sendo muito importante”, avaliou a deputada.

De acordo com o secretário Rodrigo Penha, a ajuda da Alerj foi essencial. “Foi a única ajuda que recebemos. Ela está sendo importantíssima para darmos o pontapé inicial e resolvermos os problemas causados pelas cheias”, concluiu Penha. De acordo com Gilibiam Coelho da Silva, arquiteto da Secretaria de Obras do município, dentro de 30 dias o projeto será finalizado e encaminhado para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e para o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para aprovação e início do processo licitatório. “A aprovação do Iphan e do Inea precisa acontecer o mais rápido possível para que possamos começar a construção das casas antes do verão. Mas, como a cidade é patrimônio histórico, muitas vezes temos problemas”, frisou Silva. Pandeló disse ao arquiteto que o Legislativo vai ajudar a agilizar o processo junto aos dois institutos.

Durante a visita, a petista conheceu o terreno de cinco mil metros quadrados, onde serão construídas as casas, estimadas, cada uma, em R$ 55 mil. As moradias terão 55 metros quadrados e dois pavimentos. O presidente da Comissão de Agricultura da Câmara de Vereadores de Paraty, vereador Picó (PT), explicou que as casas serão doadas para as famílias que mais sofreram perdas com as chuvas. “Ao todo, 300 famílias foram prejudicadas pela enchente e, inicialmente, só vamos poder atender 45. Porém, não vamos parar por aí”, afirmou Picó. A preocupação em entregar as casas para as famílias fez com que a prefeitura também disponibilizasse R$ 900 mil dos seus recursos para a construção. “A prefeitura desapropriou o terreno e está utilizando verba própria para que essas famílias que sofreram esse revés no início do ano não tenham mais que passar por isso”, finalizou o secretário Rodrigo Penha.
 

Fonte: Alerj

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.