Participantes do Fórum Social Mundial em Dacar

Participantes do Fórum Social Mundial em Dacar
 
Vários participantes da 11ª edição do Fórum Social Mundial já estão em Dacar, capital do Senegal. Na biblioteca central da Universidade Cheikh Anta Diop, o movimento era grande ao longo da tarde de sábado (5), principalmente de jornalistas atrás de credenciamento e participantes de alguns fóruns paralelos, como o encontro africano dos sindicalistas. Na praça em frente, trabalhadores montavam a estrutura de lona que abrigará a Maison du Brésil (Casa do Brasil).
 
As atividades do fórum começaram com uma marcha do centro da cidade até o campus da universidade, que abrigará as discussões e as mesas de debates a partir do dia seguinte. O presidente da Bolívia, Evo Morales, vai participar da cerimônia de abertura e também da caminhada. São aguardados participantes e organizações de 123 países, além da Palestina e do Curdistão, entre amanhã e 11 de fevereiro.
 
Com o slogan Um Outro Mundo É Possível, o Fórum Social Mundial nasceu em 2001, como contraponto ao Fórum Econômico Mundial realizado anualmente em Davos, na Suíça, voltado para grandes empresários e governantes. O evento reúne pensadores, intelectuais, líderes internacionais e representantes dos movimentos sociais, que discutem alternativas à política econômica globalizada e de livre mercado.
 
Entre os temas a serem discutidos nessa edição estão gastos militares, crise alimentar, subdesenvolvimento, agricultura familiar, saúde, seguridades social, acesso à água e a saneamento, lei e governança são alguns dos temas a serem discutidos. A África e os problemas sociais, à luz da crise econômica que atinge os países ricos e reflete no continente, também está entre os assuntos principais. Os conflitos no Egito e a questão da democracia no mundo árabe também devem ocupar espaço na agenda.
 
Na segunda-feira (7), Dia da África e da Diáspora, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa da mesa A África na Geopolítica Mundial com o presidente do Senegal, Abdou Layewade. Lula também será recebido em um jantar, organizado pela embaixada brasileira.
 
Como representantes do governo brasileiro virão o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, e a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Helena de Barros.
O professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Boaventura de Sousa Santos, o economista egípcio Samir Amin, e a autora e ativista canadense Naomi Klein são outros nomes confirmados para o evento.

Fonte: Agência Brasil

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.