Plano de Combate à Dengue para o verão de 2012

Paes decreta Estado de Alerta para a Dengue diante de risco de epidemia
 
O prefeito Eduardo Paes apresentou, na manhã desta quarta-feira, dia 31, o Plano de Combate à Dengue para o Verão de 2012, no Centro de Operações Rio, na Cidade Nova. Diante de dados que apontam para uma epidemia da doença no ano que vem, Paes apresentou o decreto, que será publicado nesta quinta-feira (01/09) no Diário Oficial do Município, em que estabelece Estado de Alerta para a Dengue na cidade. Com o documento foram criadas regras mais rígidas para quem dificultar ou se recusar a receber a visita de inspeção dos agentes de Vigilância em Saúde: domicílios e imóveis comerciais que forem reincidentes da detecção de focos do mosquito Aedes aegypti serão multados. 
 
– O combate à dengue é uma responsabilidade compartilhada entre o poder público e o cidadão. Se não houver participação da população nós não teremos sucesso na prevenção. Queremos diminuir os danos que uma possível epidemia pode causar na cidade. O combate aos focos precisa ser feito por todos os moradores da cidade, porque 82% dos criadouros do mosquito estão dentro de imóveis e 2/3 das pessoas que tiveram dengue tinham foco em suas casas. Duplicamos o número de agentes, temos feito caminhadas de inspeção e conscientização, compramos mais carros fumacê e vamos dobrar o número de postos de hidratação. Mas nenhuma dessas ações do poder público é suficiente se a sociedade civil não assumir a sua parte na missão de enfretar a dengue e não permitir que o mosquito se multiplique e se alastre pela cidade – explicou o prefeito. 
O Centro de Operações Rio vai funcionar como o Quartel General de combate à doença. O trabalho receberá reforço no quadro de agentes: o Rio passará a ter 3.605 agentes de saúde, o que permitirá triplicar o número de visitas de inspeção, alcançando a marca recorde de 7 milhões de vistorias somente em 2012. Para isso, 40 carros fumacê foram adquiridos, possibilitando a cobertura de toda a cidade, além de equipamentos de fumacê portáteis, que garantem a aplicação do inseticida em áreas de difícil acesso. Acompanhado do secretário municipal de Saúde e Defesa Civil, Hans Dohmann, Paes afirmou que o objetivo da prefeitura é evitar mortes por dengue e, para isso, a secretaria vai passar de 14 para 30 o número de polos de atendimento e hidratação, com 10 unidades funcionando 24 horas a partir de novembro.
– Não vamos esperar a epidemia chegar para mobilizar os polos. Eles funcionarão de novembro a abril do ano que vem. As unidades serão distribuídas em todas as regiões da cidade. E cerca de 4 mil profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros e técnicos, já receberam treinamento específico para diagnóstico precoce da doença – afirmou o prefeito, lembrando que profissionais e responsáveis por unidade de saúde públicas e particulares agora são obrigados a comunicar casos suspeitos da doença às autoridades para que ações de bloqueio possam ser realizadas a fim de evitar novos casos. 
– Não dá para esperarmos noticiar um caso de dengue para olharmos o vasinho de planta de casa. Não dá para esperarmos anunciar gente morrendo para cuidarmos da calha do telhado ou tapar a caixa d’água. A mensagem é para que as pessoas cumpram a sua parte e a prefeitura vai buscar cumprir com a dela – completou.
O decreto municipal publicado nesta quinta-feira vai facilitar ainda mais a ação dos agentes de vigilância, agilizando a entrada compulsória em imóveis com suspeita de focos e estabelecendo multas em caso de reincidência. A partir de amanhã, a entrada em imóveis abandonados com suspeita de focos pode acontecer em até 24 horas após a notificação dos proprietários. Além disso, a recusa da visita do agente de Vigilância em Saúde passa a ser considerada crime de desobediência e está sujeita à infração sanitária. O documento também responsabiliza administradores de prédios públicos por eventuais focos de dengue encontrados em área sob sua coordenação e estabelece que cada órgão público deverá criar uma brigada local de combate à dengue.
Quando houver omissão de donos de terrenos baldios quanto a sua limpeza, a Comlurb será acionada para fazer o serviço, que será posteriormente cobrado aos respectivos proprietários. Caixas d´água sem tampas e piscinas sem tratamento também serão alvo de multa aos proprietários em caso de reincidência. As borracharias serão obrigadas a instalar cobertura fixa ou desmontável onde houver depósito de pneus, sob risco de ter seu material apreendido no descumprimento do decreto. Ferros-velhos e cemitérios deverão ser mantidos limpos pelos donos, que obrigatoriamente terão que retirar vasos e recipientes que retenham água. 
O secretário municipal de Saúde e Defesa Civil, Hans Dohmann, ressaltou a importância da participação da população nas ações de combate ao mosquito da dengue e anunciou que a partir de outubro o Centro de Operações Rio disponibilizará uma apresentação semanal sobre a doença na cidade:
– Pela primeira vez o Rio de Janeiro terá um verão com número de agentes acima do preconizado pelo Ministério da Saúde. Cada agente é responsável por uma área com cerca de mil imóveis. As pessoas precisam entender que os focos estão dentro de casa e que o trabalho não está no fumacê e sim dentro das residências. O fumacê só elimina o mosquito na fase adulta. O principal objetivo é combater o foco – apontou Hans, convocando a população para participar, na próxima sexta-feira, dia 2 de setembro, às 8h, de mais uma caminhada Contra a Dengue e pela a Cidade do Rio de Janeiro. 
Qualquer cidadão pode denunciar os locais onde encontram-se possíveis focos do mosquito da dengue na Central de Teleatendimento da Prefeitura do Rio pelo telefone 1746.

Fonte: Prefeitura do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.