Polícia apreende 60 fuzis de guerra no Aeroporto Internacional do Rio

Operação histórica foi realizada pela Desarme e a DRFC
 

image_gallery

 

 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro, por meio das delegacias Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) e de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) , apreendeu na quinta-feira (1/6) 60 fuzis de guerra, no Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.

 

 

Os policiais apreenderam fuzis AK 47, G3 e AR 10, vindos de Miami, nos Estados Unidos. As armas estavam dentro de contêineres, junto com uma carga de aquecedores para piscinas. Quatro pessoas já foram presas, sendo um despachante aduaneiro. Um brasileiro, que trabalha em Miami com importação e exportação, está sendo investigado com a ajuda da polícia americana. No mercado negro, as armas chegariam a valer, juntas, mais de R$ 4 milhões.
 

– A investigação foi iniciada há dois anos pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, depois da morte de um policial militar em São Gonçalo, vítima de um assalto – explicou o delegado da DRFC, Maurício Mendonça.
 

 

 

Inteligência
Segundo o secretário de Segurança, Roberto Sá, a apreensão histórica é resultado de ações de inteligência, da otimização dos recursos e da criação da Desarme, inaugurada em abril para investigar ocorrências ligadas ao tráfico ou qualquer outra forma de comércio ilegal ou irregular de armas de fogo, munições ou explosivos.
 

– Essas armas tirariam muitas vidas. Em 30 dias, foram apreendidos 90 fuzis, sem um único disparo de armas de fogo. Em 150 dias, 250 fuzis foram apreendidos no Rio de Janeiro. Este ano, estamos chegando ao número de dois fuzis apreendidos por dia. A polícia está fazendo a sua parte, mas é preciso ter um pacto nacional de segurança, com mudanças na legislação – ressaltou Sá.
 

 

O chefe de Polícia Civil, Carlos Leba, parabenizou a atuação dos policiais na operação.
 

– Nosso trabalho é silencioso e não poderia ser diferente para se chegar a um resultado tão importante quanto este. Temos um pacto com a sociedade, para ajudar a reforçar a segurança no Estado do Rio – disse Leba.
 

 

O delegado-titular da Desarme, Fabrício Oliveira, ressaltou a importância da integração entre as especializadas.
 

– Assim que a Desarme foi inaugurada, a Roubos e Furtos de Cargas passou a compartilhar as informações da operação conosco. Esse trabalho foi importante – disse.

 

 

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.