Ponte sobre Rio Pomba será recuperada

Cidades do Noroeste Fluminense estão afetadas com chuva
 

“É necessário que o Rio Pomba, o principal da cidade de Santo Antônio de Pádua, Região Noroeste fluminense, tenha um estudo profundo por parte dos técnicos da Agência Nacional das Águas para que estragos como os que ocorreram com as enchentes do início do ano, não se repitam”. A opinião é do presidente da Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) criada para averiguar a aplicação de R$ 20 milhões doados às 20 cidades inundadas, deputado Luiz Paulo (PSDB), em visita ao município “Considero que Pádua e Aperibé, visitada pela comissão na tarde desta sexta-feira , foram as cidades mais duramente atingidas pelas águas do rio, que em alguns pontos subiram até cinco metros. Deve haver um estudo profundo, por parte dos técnicos federais, como medida de prevenção para que tantos transtornos não se repitam no futuro”, disse o deputado. Luiz Paulo considerou que os investimentos emergencias da Alerj estão sendo bem aplicados pelos prefeitos. “A preocupação dos administradores foi a de maximizar o destino dos recursos. Aqui em Pádua, a maior parte do dinheiro está sendo gasto na reconstrução de três pontes, incluindo uma de pedestres, na recuperação de prédios públicos e pavimentação de ruas, e com bom planejamento”, afirmou. 

Com uma população de aproximadamente 44 mil habitantes, a cidade de Santo Antônio de Pádua teve 90% dos seus distritos tomados pelas águas das enchentes. Com um prejuízo estimado em R$ 25 milhões, o prefeito José Renato Padilha lamentou a falta de recursos oriundos de outras fontes. “Foram perdas relevantes para o desenvolvimento econômico da cidade, que tem quatro fábricas de papel e um grande comércio e exploração de pedras ornamentais. Os recursos da Alerj foram fundamentais para a reabertura imediata dos postos de saúde, que ficaram submersos, e na limpeza das ruas”, disse Padilha. 

No roteiro da visita foram incluídos o distrito de Cidade Nova e a passarela de pedestre sobre o Rio Pomba, no centro da cidade, que teve parte de sua estrutura de ferro arrastada pela cheia. O presidente da comissão visitou ainda a Escola Municipal Viva, que receberá R$ 200 mil. Segundo Padilha, ainda serão feitas obras de saneamento básico estimadas em R$ 200 mil e de pavimentação de vias urbanas, cujo custo previsto é de R$ 180 mil. 

A comissão vai visitar ainda Porciúncula e Natividade (23/07), Cambuci e Itaocara (24/07), Laje do Muriaé e Paraty (30/07). As idas às demais cidades (Varre-Sai, Miracema e Silva Jardim) ainda não foram marcadas. A comissão já esteve em Cardoso Moreira, Italva, Tanguá, Rio Bonito, Conceição de Macabu, Itaperuna, Bom Jesus de Itabapoana e São Francisco do Itabapoana.

Fonte: Alerj

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.