Pós- graduação de universidades estaduais

Pós- graduação de universidades estaduais
 
Para estimular e garantir a continuidade da expansão, em quantidade e qualidade, da produção acadêmica nas universidades estaduais, a Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj) lançou a segunda edição do edital "Apoio a programas de pós-graduação stricto sensu em universidades estaduais”. O investimento será de R$ 2,5 milhões.
De acordo com o cronograma do edital, os interessados terão até o dia 20 de outubro para submeter suas propostas, pelo site da Faperj (www.faperj.br), e até o dia 31 de outubro para fazer a entrega da documentação impressa da proposta. A divulgação de resultados está prevista para ser feita a partir de 1º de dezembro.
Destinado a garantir o desenvolvimento e execução de projetos apresentados pelos programas de pós-graduação (PG) stricto sensu em universidades estaduais, o edital custeia a aquisição de equipamentos, materiais de consumo, serviços diversos e a execução de obras de infraestrutura. Para tanto, as propostas devem ser apresentadas por coordenadores ou coordenadores adjuntos dos programas de PG sediados nas universidades estaduais e credenciados pela Capes. Também é necessário contar com a anuência da instituição a que pertencem e apresentarem a ata de aprovação do projeto no colegiado do programa.
As propostas são classificadas em uma de duas faixas, de acordo com o montante solicitado: faixa A – de R$ 40.001 a R$ 80 mil; e B – valor inferior ou igual a R$ 40 mil. Os recursos do edital podem financiar tanto itens de capital indispensáveis à realização do projeto (como aquisição de materiais permanentes e equipamentos, e obras de infraestrutura) quanto itens de custeio (instalação de equipamentos, aquisição de componentes ou peças de reposição para equipamentos, material de consumo, aquisição de acervo bibliográfico, serviços de terceiros, pagamento de diárias e passagens e despesas acessórias de importação).
Segundo o diretor científico da Faperj, Jerson Lima, os programas de PG na Uerj e Uenf (a Uezo ainda não conta com programas de PG stricto sensu) apresentaram uma evolução muito consistente no último triênio de avaliação pela Capes.
– Pela primeira vez, a Uerj passa a contar com um programa com conceito 7, e um número muito importante de programas com conceitos 5 e 6, tidos como muito bons ou de excelência. Além disso, o Estado do Rio de Janeiro, como um todo, teve um crescimento relevante de sua pós-graduação, respondendo hoje por 21,27% dos programas com conceitos 6 e 7 em todo o país – disse Lima.
Rio de Janeiro melhora seus resultados
As instituições fluminenses concentram 65 dos programas de pós-graduação avaliados com conceitos 6 ou 7, o que corresponde a 21,27% de todos os cursos de excelência do País. De acordo com os dados divulgados, os cursos com conceito 6 saíram de 32 (9,58%) para 41 (12,2%). Já os cursos com conceito 7, que eram 17 (5,09%), agora são 24 (7,12%). Na outra ponta, aqueles com conceito 3 – grau mínimo para obter a chancela da Capes – decresceram em número. Se antes eram 103, correspondendo a 30,84% dos cursos, agora correspondem a 81 ou 24% dos cursos recomendados no Estado. Os de conceito 4, por sua vez, saíram de 107 (32,04%) para 117 (34,7%); os de conceito 5 passaram de 75 (22,46%) para 74 (22%), haja vista o crescimento daqueles com conceito 6.
O Rio de Janeiro é a segunda Unidade da Federação com a maior quantidade de programa de pós-graduação – 337 (incluindo os cursos de mestrado profissional), atrás apenas do estado de São Paulo. A quantidade de instituições com programas de pós-graduação permanece a mesma da última avaliação: 41 instituições, distribuídas em 12 municípios: Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Macaé, Nilópolis, Niterói, Nova Friburgo, Petrópolis, Rio de Janeiro, São Gonçalo, Seropédica, Vassouras e Volta Redonda.
Os programas fluminenses que atingiram o conceito 7 na avaliação trienal são: o programa de pós-graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas (FVG); o Programa de Pós-graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio); o Programa de Pós-graduação em Ciência Política (ciência política e sociologia) da Universidade Cândido Mendes (Iuperj-Ucam); o Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense (UFF); os Programas de Pós-graduação em Ciências Biológicas (Fisiologia), Clínica Médica e Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); e o Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), primeiro curso da história da Uerj (e das universidades estaduais do Rio de Janeiro) a atingir o nível máximo de avaliação.
Critérios
A classificação dos cursos de pós-graduação obedece a critérios bastante rigorosos e é realizada por meio de conceitos que variam de 1 a 7, reconhecendo os seus variados desempenhos. Os conceitos mais baixos, 1 e 2 (insuficiente), são eliminatórios, não sendo credenciado pela Capes o funcionamento de cursos; os conceitos 3 e 4 (regular e bom, respectivamente) são os níveis iniciais e o conceito 5 (muito bom) é a nota máxima atribuída a programas que possuam apenas curso de mestrado. Os programas de níveis mais elevados, de conceitos 6 e 7, são reconhecidos como de desempenho equiparados a cursos internacionais de excelência, na mesma área.

Fonte: Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.