Postos de combustíveis na Operação Lei Seca

Campanha nos Postos
 

Aproximadamente dois milhões de motoristas deverão ser alertados diariamente para os perigos de dirigir depois de beber. Esta é a quantidade de carros que deverá parar em algum dos 450 postos do Rio que aderiram à operação Lei Seca – Nunca Dirija Depois de Beber, do Governo do Estado. A partir desta sexta-feira (24/7), agentes da Secretaria de Governo percorrerão os postos vinculados ao Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes e de Lojas de Conveniência do Município do Rio de Janeiro (Sindcom) para explicar a gerentes, frentistas e funcionários de lojas de conveniência e para motoristas o perigo de dirigir após o consumo de bebida alcoólica.

O início dessas visitas, que contam com a participação de estudantes de medicina e cadeirantes vítimas de acidentes de trânsito envolvendo álcool e direção, começou hoje, em um posto na Lagoa Rodrigo de Freitas, Zona Sul do Rio. O próximo a ser visitado será na Barra da Tijuca, Zona Oeste carioca, na próxima semana. E assim acontecerá sucessivamente até que a campanha esteja consolidada neste segmento. Em média, trabalham dez pessoas em cada posto. Esses funcionários se encarregarão de divulgar a campanha, além de convencer motoristas a permitir o adesivamento do carro com um selo da Lei Seca.

– Fiz uma apresentação de nosso projeto na sede do Sindcomb na quarta-feira passada, na Tijuca, e a categoria aderiu de imediato ao trabalho de conscientização junto aos seus clientes. Eles não vão forçar ninguém a colocar o adesivo, mas serão preparados por nós para explicar a cada cliente os grandes números desta verdadeira tragédia brasileira – afirmou o subsecretário de Governo, Carlos Alberto Lopes, coordenador da operação.

Segundo Lopes, 380 mil pessoas são feridas em acidentes de trânsito por ano no Brasil. Do total, 230 mil são internadas, sendo que 140 mil delas ficam com lesões irreversíveis e 40 mil morrem.

– Se dividirmos 40 mil por 365 dias, serão 135 mortes por dia. É um boing por dia. Quando isso acontece episodicamente, o impacto é de uma calamidade, e o é mesmo, mas não damos conta de que esta tragédia acontece todos os dias no país. No ano passado, no Estado do Rio, 35 mil pessoas ficaram feridas no trânsito e 2,5 mil morreram – detalhou o subsecretário.

Antes dos postos de combustíveis, aderiram à campanha os taxistas, com o adesivamento de 38 mil táxis, a Fetranspor, com a colocação do selo em 15 mil ônibus, a Supervia, com o envelopamento de seis vagões de trem, o Metrô Rio, com adesivos em suas composições, e, por último, a Ambev, uma fábrica de bebidas. Segundo o subsecretário de Governo, a cada dia a Lei Seca ganha adesão.

– Não queremos forçar nada. Queremos deixar que o projeto flua naturalmente, e ele vem fluindo. Os segmentos estão cada vez mais participando. O importante é que não estamos forçando nada – disse o subsecretário.

O presidente do Sindcomb, Manuel Fonseca da Costa, elogiou o projeto do Governo do Estado e se colocou à disposição para levá-lo a outros segmentos ligados à sua área. Inclusive, informou que o sindicato das distribuidoras de combustíveis já se prontificou a participar da campanha.

– As distribuidoras querem adesivar todos os caminhões de entrega de combustíveis – completou.

Tão logo parou no posto para abastecer o carro e depois de concordar que o veículo recebesse um adesivo, a dona-de-casa de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, Maria Rita Alves Castro, em visita ao Rio, era só elogios à operação.

– É uma ideia maravilhosa, uma chance de a gente preservar vidas, um passo para o brasileiro começar a mudar o país, como ocorre em qualquer lugar civilizado. Eu aderi à campanha. Quando saio à noite para alguma comemoração, sempre vou de taxi, de ônibus, vou até a pé. É um desconforto, mas é necessário para todos – apoiou Maria Rita.

Em junho deste ano, o Estado do Rio registrou menos 474 acidentes do que no mesmo período de 2008. A queda de 25,6% aconteceu após o início da operação Lei Seca. Em maio, a redução foi de 36,2%. Já em abril, a queda ficou em 23,6% e, de 19 de março a 19 de abril, o número de acidentes registrou queda de 19%.

Lançada em 19 de março de 2009 com o objetivo de reduzir os acidentes, a operação Lei Seca é uma campanha educativa e de fiscalização, de caráter permanente, que abrange os bairros da capital e municípios da Região Metropolitana (Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá) e da Baixada Fluminense. Os motoristas são abordados em blitze nas ruas e passam pelo teste do etilômetro para medir o teor de álcool no sangue.
 

Fonte: Governo do Estado do Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.