Prefeito decreta feriado nesta quarta-feira

Prefeito decreta feriado nesta quarta-feira
 

Em coletiva à imprensa no final da tarde desta terça-feira, dia 6, o prefeito Eduardo Paes anunciou que na quarta-feira (07/04) as escolas municipais não funcionarão e pediu que as unidades particulares de ensino sigam o exemplo, que também foi adotado pela rede estadual.

 "Decretamos feriado para as escolas do município para reduzir o fluxo de veículos e pessoas nas ruas. Assim, além dos cariocas ficarem protegidos em suas casas, as ruas ficarão mais livres para  que as equipes dos orgãos públicos possam se locomover com mais facilidade e agilizar seu trabalho", explicou o prefeito, que vai reavaliar as condições da cidade durante esta madrugada a partir do volume de chuva que venha a cair no Rio. No momento, chove forte em vários pontos da cidade e a previsão é de chuvas fortes a moderadas durante toda a madrugada e o dia de amanhã.
 
O prefeito Eduardo Paes demonstrou, mais uma vez, que sua preocupação maior neste momento é proteger a vida dos moradores que residem em áreas de risco. Até as 18 horas de hoje foram registradas 36 mortes e quatro pessoas continuam desaparecidas, todas vítimas de deslizamentos de terra e desabamentos. Para evitar novas perdas, o prefeito pediu ao presidente Lula para incorporar 4 mil unidades habitacionais, que estão praticamente prontas e fazem parte do Programa de Arrendamento Residencial (PAR), no programa Minha Casa, Minha Vida, que tem parcela de financiamento muito mais barata, de cerca de 10% da prestação do PAR (aproximadamente R$ 50).

O objetivo é oferecer à população de baixa renda e que vive em áreas de risco uma opção de moradia segura. "Hoje temos registrada a existência de 10 mil domicílios em áreas de risco. Se conseguirmos uma alternativa barata e de qualidade como esta do PAR resolveremos 40% do problema. Temos que parar com demagogia quando o assunto é remoção. Nosso objetivo é salvar vidas", afirmou Paes.
 
O prefeito reiterou o apelo aos cariocas para que, se a chuva perdurar eles permaneçam em casa. E pediu às famílias que residem em encostas e áreas que correm risco de desabamento para que busquem locais seguros. "Temos equipamentos municipais, como vilas olímpicas e escolas, prontas para receber os desabrigados e desalojados. É importante que ninguém coloque a vida em risco a população deu uma resposta super positiva ao apelo do prefeito e isso surtiu efeito direto nas ruas, que ficaram vazias e livres para as equipes de socorro e de trabalho", disse.
 
A chuva que começou no fim da tarde da segunda-feira, dia 5, foi a maior que o Rio já registrou. Em menos de 24 horas, foram 288 milímetros de precipitação. Na chuva histórica que destruiu a cidade em 1966, choveu 245 milímetros em 24 horas. Em 1988, foram 230 milímetros e em 1996, 201 milímetros. No temporal das últimas 24 horas, os cinco pontos com maior volume de chuvas foram Sumaré (356 milímetros até as 18h), Jardim Botânico (303 milímetros), Rocinha (302 mm), Maciço da Tijuca (280 mm) e Vidigal (265 mm).
 
"Foi o maior volume de chuvas relacionadas a enchentes já registrado em nossa cidade. Tivemos a chuva forte somada à maré alta e ressaca, o que agravou a situação. Para se ter uma ideia, o nível da Lagoa Rodrigo de Freitas que normalmente é de 50 centímetros foi a 1,40 metro. É claro que ninguém nega que existam deficiências e problemas estruturais, mas não há galeria pluvial limpa que segure este volume de água", explicou Paes.
 
O Rio de Janeiro, como garantiu o prefeito, tem todas as condições de realizar os trabalhos de recuperação da cidade: "Já recebemos manifestações de ajuda, inclusive do presidente Lula, com quem falei hoje quatro vezes. O ministro das Cidades, Marcio Fortes, o prefeito de Sâo Paulo, Gilberto Kassab, e o governador de Santa Catariana, Leonel Pavan, todos se solidarizaram com o Rio. Amanhã, o ministro da Integração Nacional João Reis estará aqui para conversarmos. O governador Sérgio Cabral e eu mantivemos contato permanente desde a noite de ontem e estado e município estão realizando um trabalho 100% integrado, sobretudo no socorro às vítimas".  
 
O prefeito destacou os investimentos que têm sido feitos na cidade para melhorar seu estado de conservação e prepará-la para responder com mais eficiência aos eventos de chuva. "Existem várias intervenções já em andamento, como o plano de macrodrenagem do Rio Acari e da Bacia de Jacarepaguá, e ainda um conjunto de obras que estão sendo licitadas neste momento. Além disso, a Geo-Rio tem recursos e autonomia para agir diante de todo e qualquer risco de deslizamento de encosta, independente da situaçao meteorológica. O governo federal também já se dispôs a liberar verbas caso o Rio precise. O nosso foco agora é muito menos encontrar culpados. O que queremos nesse primeiro momento é amenizar o sofrimento e os transtornos causados pelas chuvas e não perder mais vidas", garantiu o prefeito. 
 
Todos os órgãos da prefeitura ligados ao combate aos efeitos da chuva estão com efetivo reforçado. A Comlurb trabalha com 4 mil homens na limpeza e liberação das vias, de onde retirou 2.400 toneladas de detritos e entulhos nas últimas 24 horas. Mais de 40 árvores foram retiradas das ruas. A Coordenadoria Geral de Conservação está com 1.200 funcionários nas ruas fazendo limpeza de galerias pluviais. A Defesa Civil Municipal tem 60 homens no comando das ações de socorro e remoção de pessoas em áreas de risco, que conta com o apoio dos bombeiros e da polícia militar. A secretaria de Obras, que coordena as operações da Geo-Rio e Rio-Águas, conta com 300 homens. A Guarda Municipal atua com efetivo de 2.200 e a Cet-Rio tem 100 operadores de controle de tráfego.
 
A secretaria especial de Ordem Pública e a GM trabalham com 43 reboques para retirar veículos enguiçados e abandonados das ruas. A secretaria de Conservação está com 177 caminhões, 34 retroescavadeiras e 44 pás mecânicas para realizar os trabalhos de drenagem nos locais mais afetados pelas enchentes na cidade. As empreiteiras que realizam serviços para prefeitura também cederam 30 caminhões e 20 pás mecânicas.
 
Entre os pontos críticos do Rio, o prefeito listou: a Serra da Grota Funda, a Avenida Niemeyer, a Estrada Grajaú-Jacarepaguá e o Alto da Boa Vista – fechados ao tráfego nos dois sentidos; o Túnel Noel Rosa – fechado ao trânsito no sentido Vila Isabel; as avenidas Borges de Medeiros (alagada) e Epitácio Pessoa (fechada ao tráfego próximo ao Túnel Rebouças); e a alça de acesso do Cosme Velho ao Rebouças.

DADOS até as 18 horas de terça-feira (06/04):
Ocorrências registradas pela Defesa Civil – 649
Desabrigados – 1410
Desalojados – 368
Feridos – 56
Desaparecidos – 4 (todos na Taquara)
Vítimas Fatais: 36
– Morro dos Prazeres (Santa Teresa): 14
– Morro do Turano: 5
– Morro dos Macacos: 5
– Comunidade Santa Maria (Jacarepagá): 4
– Morro do Borel: 3
– Recreio: 1
– Ladeira dos Guararapes (Humaitá): 1
– Ilha do Governador: 1
– Cascatinha: 1
– Andaraí: 1

 

Fonte: Prefeitura do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.