Prefeito e presidenta Dilma participam do Dia D de combate ao mosquito Aedes aegypti

Dilma alerta a importância de mobilizar a população para combater o mosquito
 

 

O prefeito Eduardo Paes participou neste sábado, 13 de fevereiro, ao lado da presidenta Dilma Rousseff e do governador Luiz Fernando Pezão, do Dia Nacional de Mobilização para Combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue, zika e chikungunya. As autoridades estiveram na comunidade Zeppelin, em Santa Cruz, na Zona Oeste, onde lançaram a campanha `Zika Zero`de conscientização e orientação da população sobre a necessidade de combater o mosquito e eliminar os criadouros.

 

 

O Dia D ocorre, simultaneamente, em 353 cidades brasileiras e conta com a participação de 220 mil homens das Forças Armadas, 46 mil agentes de combate a endemias e 266 mil agentes comunitários de saúde, além da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Foram distribuídos panfletos informativos com o número de telefone local para o recebimento de denúncias de locais com proliferação do mosquito Aedes aegypti.

 

 

Após visitar algumas casas na comunidade, distribuir panfletos informativos e aplicar larvicida em alguns ralos de residências, Dilma falou da importância de mobilizar a população para combater o mosquito:

 

 

– Estamos colocando toda a nossa estrutura para combater o mosquito Aedes aegypti e impedir que ele nasça. Em média, no Brasil, dois terços dos criadouros estão dentro das residências. Por isso, precisamos da mobilização da população. O governo está fazendo sua parte, mas precisamos que a população também esteja engajada.

 

 

 

 

No Rio, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) conta com mais de três mil agentes de vigilância ambiental em saúde. As equipes estão diariamente em campo em toda a cidade, durante todo o ano, mesmo nos meses de menor presença do Aedes aegypti.

 

 

 

Em 2015, foram feitas ao todo 10,075 milhões de visitas de inspeção a imóveis em toda a cidade em busca de possíveis focos do vetor, eliminando 1,069 milhão de depósitos e tratando outros 3,286 milhões. O trabalho dos agentes consiste em orientar os moradores; eliminar os depósitos passíveis de eliminação; tratar aqueles que não podem ser eliminados para evitar a proliferação dos focos.

 

 

 

Com o intuito de chamar a atenção da população sobre a importância de todos ajudarem na prevenção dos focos do mosquito em suas residências, a Secretaria Municipal de Saúde realiza, desde 14/12, os mutirões de mobilização da população contra o Aedes aegypti. A cada semana, em uma região da cidade, são realizadas várias ações de educação e promoção da saúde para orientar os moradores sobre os cuidados que podem ser tomados em suas casas. Os mutirões já foram feitos nas regiões de Madureira; Santa Cruz, Paciência; Campo Grande; Grande Tijuca; Ilha do Governador, Zona da Leopoldina; Grande Méier; Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Bangu, Centro e Zona Sul.

 

 

O ingresso compulsório em imóveis fechados ou abandonados – quando o proprietário não entra em contato para liberar o acesso dos agentes – é feito baseado no decreto nº 34.377, de 2011. Em 2015, os agentes de vigilância ambiental fizeram 1.146 notificações em imóveis que estavam fechados na primeira visita, com 95 publicações em Diário Oficial (DO) para entrada compulsória. A maioria dos proprietários procurou a SMS, após a notificação ou dentro do prazo estipulado no DO, abrindo o local para permitir a vistoria. Em 61 imóveis, no entanto, os agentes precisaram fazer a entrada compulsória permitida pelo decreto.

 

 

Além de eliminar os criadouros do mosquito em suas próprias residências, a população pode colaborar também denunciando possíveis focos por meio da Central de Atendimento da Prefeitura do Rio, no telefone 1746. De todas as solicitações feitas em 2015 sobre o Aedes aegypti ao serviço, 95,9% foram atendidas pelos agentes de vigilância ambiental em saúde.

 

 

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.