Prefeitura do Rio anuncia construção de rede de drenagem em Cascadura

A obra se faz necessária para acabar com as históricas enchentes neste trecho da rua
 

O prefeito Marcelo Crivella anunciou, nesta quarta-feira (08/08), o início da construção de uma rede drenagem na Rua Santo Sepulcro, em Cascadura, Zona Norte da cidade.  Com 1.200 metros de extensão, a nova calha será responsável pelo escoamento da água da chuva até o Rio Timbó Superior, próximo à linha férrea. Na última tempestade, em fevereiro deste ano, que causou estragos em diversos pontos da cidade, essas vilas foram fortemente atingidas. No local, inclusive, ocorreu o desabamento de uma casa e a morte do adolescente Marco Antônio Pereira Batista, de 16 anos.

 

 

“Estamos trabalhando aqui para que as tragédias não se repitam. São construções antigas, numa área em que as pessoas convivem há muito tempo com riscos. Por isso, vamos ter que remover algumas casas e fazer essa obra para sanar este problema. Temos várias equipes aqui, incluindo a Secretaria da Municipal Assistência Social, para encaminhar as famílias para o aluguel social. Nossas equipes técnicas já desenvolveram o projeto e a obra começa no início de setembro”, comentou o prefeito.

 

A diretora de Estudos e Projetos da Fundação Rio Águas, Georgiane Costa, explicou a necessidade da demolição das casas. A obra tem previsão de seis meses de duração. Neste período, serão diretamente afetadas as ruas Santo Sepulcro, Miguel Rangel, Borneo e Sanatório.

 

“As construções são da década de 50, num terreno tipo vale. Aqui temos o encontro de três ruas em declive. Ao longo do tempo, as pessoas foram construindo e lidando como podiam com as enchentes. Com a concentração demográfica maior, a situação se agravou. A nova rede de drenagem vai ordenar o fluxo da água de chuva. Vamos construir também uma servidão entre as vilas”, disse Georgiane.

 

 

A obra vai tirar da situação de risco mais de 20 famílias. Além do prefeito Marcelo Crivella, participaram desta vistoria na Rua Santo Sepulcro, o presidente da Rio Águas, Cláudio Dutra; o secretário municipal de Habitação e Infraestrutura, Sebastião Bruno; o secretário municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes; além de técnicos de diversas áreas da prefeitura. 

 

Satisfação dos moradores

“Agora, se renova nossa esperança de realmente resolver esta situação. Foi um pesadelo o que vivemos e aos poucos sinto que vamos deixar isso para trás”, disse Laís Anselmo da Silva, 41 anos, moradora de uma das casas atingidas. Laís vive com o marido Fábio Silva, 43 anos, desempregado, e a filha Laureen , 16 anos, estudante.

 

“Recebemos o apoio da Prefeitura. O pessoal da Saúde, da Assistência Social e da Comlurb já estiveram aqui na minha casa. Hoje, recebi o prefeito, que veio ver de perto o que aconteceu com a gente. Sinto que não estamos desamparados e nosso problema será finalmente resolvido”, comentou Laís.

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.