Prefeitura do Rio realiza Dia D de Combate ao Aedes aegypti

Denúncias de possíveis focos do Aedes aerypti podem ser feitos pelo telefone da Central de Atendimento da Prefeitura através do telefone 1746
 
 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza, na sexta-feira (08/12), o Dia D de Combate ao Aedes aegypti. A mobilização é convocada pelo Ministério da Saúde e acontece em todo o Brasil, para chamar a atenção para a importância da participação popular nos esforços para eliminar os focos do mosquito e, assim, prevenir a ocorrência das arboviroses. Os cuidados para evitar os criadouros devem ocorrer durante todo o ano, com maior intensidade no verão, época de maior reprodução do vetor e, consequentemente, de maior possibilidade de ocorrência da dengue, da zika e da chikungunya. O lançamento das atividades de mobilização aconteceu, hoje cedo, na Escola Municipal Camilo Castelo Branco (Rua Pacheco Leão, 1.004), no Jardim Botânico.

 

O município do Rio conta com cerca de 3 mil agentes de vigilância em saúde, que estão diariamente nas ruas atentos a quaisquer situações em seus territórios – áreas públicas ou imóveis vistoriados – que podem representar agravos à saúde da população local, como reservatórios de água que possam ser potenciais focos do mosquito. Além das visitas de rotina aos imóveis, também são vistoriados com regularidade praças, parques, clubes, depósitos públicos, estacionamentos, estádios, terrenos baldios, entre outros locais.

 

Este ano, até o momento, os agentes de vigilância em saúde fizeram 10,6 milhões visitas de inspeção a imóveis para busca de possíveis focos do Aedes aegypti, com 3,1 milhoes de depósitos de água – potenciais criadouros – tratados ou eliminados. Evitar o surgimento de criadouros é uma das mais importantes medidas de prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito: dengue, zika e chikungunya. Por isso, as ações de combate ao vetor são rotineiras e realizadas pela Secretaria de Saúde em toda a cidade, durante o ano inteiro, mesmo nos meses de inverno, quando é menor a reprodução e circulação do mosquito e, consequentemente, a incidência das doenças. Para este verão, os trabalhos já estão reforçados.

 

O mais recente Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado em outubro, manteve o baixo índice de infestação predial (IIP), equiparando ao menor já registrado na história da cidade: 0,8%. O resultado mantém o município na faixa verde, que representa baixo risco para ocorrência das infecções transmitidas pelo vetor. O índice é considerado satisfatório quando apresenta menos de 1% com criadouros do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

 

Denúncias de possíveis focos do Aedes aerypti podem ser feitos pelo telefone da Central de Atendimento da Prefeitura (telefone 1746). Das solicitações feitas pelo serviço em 2017, até o momento 97,18% foram atendidas pelos agentes de vigilância da SMS dentro de prazo de até cinco dias úteis. 

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.