Prefeitura inaugura VLT Carioca e Passeio Público da Avenida Rio Branco

A partir de 6 de junho o veículo vai transportar passageiros em apenas oito paradas: Parada dos Museus, São Bento, Candelária, Sete de Setembro, Carioca, Cinelândia, Antônio Carlos e Santos Dumont
 

Fotos: Ricardo Cassiano e J.P. Engelbrecht

 

 

Domingo, dia 5 de junho, o prefeito Eduardo Paes inaugurou o VLT Carioca e o Passeio Público da Avenida Rio Branco, duas grandes obras que mudam significativamente o perfil de mobilidade e ambiência do Centro da cidade. Rápido, sustentável e moderno, com rede de 28 Km, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) vai integrar todos os meios de transporte do Centro e da Região Portuária – barcas, metrô, trem, ônibus, rodoviária, aeroporto Santos Dumont, Teleférico da Providência, terminal de cruzeiros marítimos e, futuramente, o BRT Transbrasil. Para a viagem inaugural do novo meio de transporte, a Avenida Rio Branco foi fechada integralmente e se transformou em uma grande área de lazer para os cariocas que foram até o local. Na primeira fase, que começa em 6 de junho, O VLT opera nos dois sentidos, somente de segunda a sexta-feira, das 12h às 15h. E, a casa  semana o horário será estendido.

 

 

 

Acompanhado de integrantes das baterias das escolas de samba Mangueira e Vila Isabel na viagem inaugural, o prefeito falou sobre a importância do novo modelo de transporte para a cidade:  “O VLT é o integrador de uma transformação na mobilidade do Centro do Rio. É uma volta ao Rio Antigo, época dos bondes, e um esforço para resgatar o Centro da cidade como um lugar que as pessoas frequentem, desfrutem, apreciem. Aqui tem uma paisagem fantástica, um roteiro maravilhoso de museus, equipamentos culturais e igrejas belíssimas. Sem contar que ele é um modelo de veículo que representa o futuro que queremos para nossa cidade, preocupado com o meio ambiente, não poluente, silencioso, e que tira os carros das ruas. É, de fato, algo novo, muito importante e que reconfigura essa região da cidade”.

 

 

A primeira etapa de operação do VLT, inaugurada no domingo, vai da Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont, com 18 Km em trilhos, 17 paradas e uma estação.   A previsão é de que todo o primeiro trecho do sistema entre em operação comercial no dia 1º de julho, com funcionamento 24h por dia e sistema de cobrança ativo. Neste primeiro mês, a tarifa será gratuita, mas agentes da concessionária irão acompanhar o dia a dia da operação para tirar dúvidas dos passageiros sobre o pagamento da passagem, trajetos e demais procedimentos do novo modal. A ligação entre a Central do Brasil e a Praça XV entra em operação no segundo semestre. A partir de 2017, será a vez do trecho que funcionará na Avenida Marechal Floriano.

 

 

 

O avanço da operação em ciclos tem como objetivo fazer com que a população se acostume ao movimento de circulação dos bondes. A prioridade é garantir segurança plena aos futuros passageiros e melhor convívio entre pedestres, veículos e VLT.  “Esse novo veículo é uma novidade que passará a fazer parte da vida e do dia a dia dos cariocas. Nos preocupamos agora com a segurança dos pedestres e o respeito dos motoristas aos cruzamentos. O pedestre precisa estar atento porque o trem é silencioso e os motoristas devem respeitar e preservar os cruzamentos, principalmente, da Avenida Presidente Vargas com a entrada da Rio Branco – destacou o secretário executivo de Coordenação de Governo, Rafael Picciani”.

 

 

 

 

A Prefeitura do Rio, a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) e a Concessionária do VLT Carioca vão intensificar campanhas educativas e ações nas redes sociais para orientar os usuários a respeito do uso do novo sistema sobre segurança, forma de pagamento, compra dos bilhetes e regras de convivência dentro dos trens, dentre outras informações. Desde março, a campanha #OlhonoVLT trabalha o conceito de segurança com foco na atenção de pedestres e motoristas, já que os trens são silenciosos e vão circular em áreas com grande fluxo de pessoas e automóveis. A campanha ocupa ruas, mídias sociais, mídia mobile e rádio, além de ações corpo a corpo bem-humoradas chamando a atenção de pedestres. No período de testes, o programa distribuiu 50 mil adesivos, 250 mil folhetos e instalou 22 painéis e displays ao longo do Centro e Região Portuária. Nesta nova etapa, mais 200 mil folhetos serão distribuídos nas ruas do eixo de passagem.

 

 

 

 

A Guarda Municipal vai contar com efetivo exclusivo, de 157 agentes, para atuar no ordenamento urbano do trajeto do VLT. Os guardas atuarão na coerção ao comércio ambulante irregular que esteja dificultando a mobilidade de pedestres e dos veículos, nas calhas e calçadas do trajeto dos trens; além de auxiliarem os cidadãos na travessia, que será o principal foco do início das operações. Os guardas municipais que trabalharão no ordenamento do VLT usarão braçal com detalhe em azul e amarelo para facilitar na identificação junto à população.  

 

 

 

Além da inauguração do VLT, a prefeitura entregou aos cariocas o novo Passeio Público da Avenida Rio Branco, entre a Avenida Nilo Peçanha e a Rua Santa Luzia, que abrange 14,4 mil metros quadrados, dos quais 9 mil m² de área de convivência ao longo de seus 600 metros. O local ganhou 35 árvores, 1.620 m² em canteiros verdes, bicicletários, 70 bancos e nova iluminação pública. A área passa a oferecer aos frequentadores do Centro um espaço de circulação exclusiva para pedestres, ciclistas e para o VLT ao longo do caminho cercado de prédios históricos como o Theatro Municipal, o Museu Nacional de Belas Artes e a Biblioteca Nacional.

 

 

 

Quem curtiu  a nova área de lazer foi o sociólogo paulistano Gleyson Rocha, de 57 anos. Morador do Centro do Rio há 12 anos, ele afirma que espaços tão importantes como o Porto e a Rio Branco estão de volta à população: 

 

– Aqui sempre foi um lugar que precisava dessas melhorias. De tantos investimentos que vemos por aí, creio que este seja o mais importante para a cidade. Estou aproveitando a área de lazer. Gosto muito de andar na minha trike (bicleta de três rodas) e, hoje, vejo que está bem mais seguro e tranquilo a pedalada por aqui. Não tem mais o risco do trânsito para o ciclista. Está muito aprovado e a prefeitura está de parabéns pela iniciativa.

 

Já para o advogado Custódio de Carvalho, 59 anos, morador de Paquetá, o VLT vai ser seu novo meio de transporte até o seu escritório na Avenida Franklin Roosevelt:

– O que mais me chamou a atenção nessa nova organização do Centro foi a integração entre os meios de transporte e a tentativa de educação do povo. Quando a gente poderia imaginar que seria possível andar pela Avenida Rio Branco olhando para os museus e jardins, pelos quais a gente passa todos os dias e nem presta atenção na sua existência? Com toda a certeza foi um ganho para a população. Moro em Paquetá e, a partir de agora, utilizarei o VLT para vir trabalhar. 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.