Primeira etapa será concluída em março

Primeira etapa será concluída em março
 
Prazo foi ampliado com mais R$ 210 milhões do Governo do Estado 
 
A presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, esclareceu, no dia 7 de fevereiro, que o prazo de conclusão da primeira etapa de obras do Projeto Iguaçu foi ampliado para o final de março, devido às fortes chuvas que atingiram a Região Serrana no mês passado. Incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com contrapartida do Estado, o programa de controle de inundações e de recuperação ambiental da Baixada Fluminense terá R$ 860 milhões em investimentos até 2013, para obras de infraestrutura e realocação de moradores das áreas ribeirinhas. 
Segundo Marilene Ramos, entre 2007 e 2010, foram investidos mais de R$ 400 milhões, metade em recursos federais e o restante proveniente do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam). As próximas intervenções terão aporte estadual de R$ 80 milhões, já em fase de licitação e com previsão de serem finalizadas em aproximadamente 50 dias. "Ampliamos o prazo para março, com mais R$ 210 milhões do Governo do Estado. Recebemos do PAC R$ 180 milhões, mas como houve diversas cheias por conta das chuvas, tivemos que incluir novas áreas", disse a presidente do Inea. 
 
Marilene garantiu também que não há atraso nas obras. Tanto que, apesar dos índices pluviométricos terem atingido picos incomuns na Serra, o que interfere no fluxo das águas dos rios da Baixada Fluminense, as obras já realizadas permitiram que os leitos resistissem bem à situação extrema. Em Friburgo, o sistema de Alerta de Cheias do Inea chegou a registrar 298mm de chuva no período mais intenso.As obras do Projeto Iguaçu, iniciadas em 2008, têm resultado na melhoria das condições de infra-estrutura urbana e habitação para cerca de 3 milhões de moradores dos municípios de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo, Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu, e dos bairros de Bangu e Senador Camará, na zona Oeste da Baía de Guanabara, locais antes frequentemente atingidos por enchentes.

Fonte: Governo do Estado do Rio de Janeiro

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.