Produção de mudas para reflorestar Mata Atlântica

Centro no Rio visa à produção em grande escala de mudas
 
A Mata Atlântica, um dos biomas mais ameaçados do planeta, ganhou um reforço contra o desaparecimento. O Centro de Produção de Mudas para Reflorestamento da Mata Atlântica, inaugurado em Seropédica, na região metropolitana do Rio, visa à produção em grande escala de mudas que vão auxiliar na recuperação das matas ciliares, localizadas nas margens de rios importantes do estado.
O reflorestamento ocorrerá no Guandu, responsável por abastecer a capital e grande parte da Baixada Fluminense, e no Rio Macacu, que leva água aos municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.
 
A incubadora terá capacidade de produzir 100 mil mudas por ano e funcionará na estação de tratamento de água do Guandu, no município de Seropédica. A iniciativa é da Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae).
 
O presidente da companhia, Wagner Victer, explicou que a intenção é de, nos próximos anos, plantar 3 milhões de mudas na região metropolitana do Rio. “E só no dia 21 de setembro, Dia Mundial da Árvore, vamos plantar uma quantidade recorde de 50 mil mudas. Além disso, vai melhorar o clima e ajudar no sequestro de carbono, que é o processo de remoção do gás carbônico do ar.”
 
Além do viveiro de mudas, foi inaugurada também a Oficina de Treinamento de Costura Zuzu Angel, que treinará detentas do regime aberto e semiaberto do estado para confeccionar uniformes dos trabalhadores da Cedae. Os dois projetos, segundo o presidente da empresa estadual, atendem a uma recomendação do Comitê Olímpico Internacional (COI), visando aos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade.
 

Fonte: Agência Brasil

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.