Programa Aluguel Social em São Gonçalo

Programa Aluguel Social em São Gonçalo
 
O secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves; o vice-presidente Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (PRODERJ), Alexandre Gitahy; e a prefeita de São Gonçalo, Aparecida Panisset, assinaram, na manhã de quinta-feira (24), um acordo de cooperação técnica para o pagamento do aluguel social às vítimas das chuvas de abril de 2010 no município.
 
“São Gonçalo cumpriu as cláusulas do convênio anterior e o decreto do governador Sérgio Cabral, que determinava o pagamento do aluguel social em correspondente bancário e a inclusão das famílias desabrigadas nos programas habitacionais dos governos. A secretaria municipal tem trabalhado em consonância com a orientação da SEASDH. Isso possibilitou a renovação do convênio por mais nove meses e garantir a manutenção do auxilio às famílias atingidas pelas chuvas de abril na cidade até a entrega das casas que já estão sendo construídas no município”, afirma o secretário.
 
O termo de cooperação garante o pagamento do aluguel social, no valor de R$400 por família, por mais nove meses. A integração dos beneficiários à plataforma do CAD Único/Bolsa Família deve ocorrer durante o mês de março e as famílias receberão o benefício a partir da primeira semana de abril, incluindo os valores referentes aos meses de fevereiro e março.
 
O vice-presidente do PRODERJ, Alexandre Gitahy, que representou o presidente da autarquia, Paulo Coelho, acredita que o cadastramento das famílias de São Gonçalo será eficiente e bem rápido, já que o PRODERJ e a SEASDH acabaram de criar um sistema, em tempo recorde, para cadastrar de forma ágil as famílias que irão receber o benefício.
 
“Ficamos muito felizes em saber que mais famílias necessitadas vão receber esta ajuda do governo estadual e sabemos que essas pessoas têm pressa. Por isso, vamos utilizar o mesmo sistema que criamos para cadastrar os desabrigados da Região Serrana, e que operou com grande sucesso e eficiência. Uma equipe do PRODERJ/SEASDH vai integrar esta base de dados do CAD Único com a nossa plataforma e a da Caixa Econômica Federal, e, certamente, essas
famílias de São Gonçalo receberão o benefício de maneira digna”, explica Gitahy.
A solução criada pelo PRODERJ/SEASDH foi desenvolvida em tempo recorde e é capaz de interagir com o banco de dados da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Ministério de Desenvolvimento Social. A expectativa é que as famílias que já fazem parte do programa Bolsa Família recebam o valor do Aluguel Social, complementar ao próximo Bolsa Família. Para aqueles que não recebem o benefício do governo federal, será necessário abrir uma conta na Caixa para
receber o Aluguel Social. A CEF, junto com a Secretaria Estadual de
Assistência Social e Direitos Humanos, montou um esquema especial para abertura da chamada conta simplificada, que exige menos burocracia.
As famílias cadastradas no aluguel social serão beneficiadas pelo auxílio até julho, quando receberão uma moradia definitiva através dos programas habitacionais do governo. Nos próximos meses o Programa Morar Seguro do Governo do Estado, juntamente com a prefeitura e o PRODERJ, entregarão os primeiros 

Fonte: Prefeitura do Rio

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.