Programa digital facilita ação do Corpo de Bombeiros

Militares localizam com rapidez pontos de captação de água
 

Militares localizam com rapidez pontos de captação de água

 

Rapidez, eficiência e economia. Essas são as vantagens que o Corpo de Bombeiros Militar do Estado Rio de Janeiro tem por utilizar o Sistema Operacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SisGORH), um programa digital que facilita a localização de água a ser utilizada no combate a incêndios e que foi desenvolvido pelo Laboratório de Geoprocessamento da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LAGEOP/UFRJ), a pedido do Grupamento Técnico de Suprimento de Água para Incêndios (GTSAI).

 

O volume do tanque das viaturas de combate a incêndio variam entre dois mil e 30 mil litros. Quando é necessário um grande volume de água, o comandante de socorro deve pensar no reabastecimento das viaturas. O banco de dados unificado, georreferenciado e acessível aos quartéis – utilizado pelo Estado há dez anos – facilita à corporação o cálculo de uso, quando e onde reabastecer.

– Com a ferramenta, temos em tempo real a localização e características dos hidrantes e de demais pontos de captação de água que podem nos guarnecer, como piscinas, reservas técnicas de incêndio (em edifícios com mais de quatro andares), lugares de água de reuso e o local onde os carros-pipa da Cedae são abastecidos. Temos acesso também aos pontos críticos, como locais com material inflamável próximo ao incidente. Os bombeiros levam isso em conta na hora de isolar a área. Tudo isso garante uma programação rápida e segura da corporação – disse o capitão Arthur de Veras, do GTSAI.

 

Esse programa de geolocalização já foi apresentado, em 2016, no Seminário Nacional dos Bombeiros. O capitão destaca uma outra vantagem: economia de água.

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.