Programa nuclear do Irã em pauta

Programa nuclear do Irã em pauta
 
O polêmico programa nuclear do Irã deve ser tema da reunião dos 35 governadores que integram a Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), em Viena, na Áustria. Também estará em discussão os programas desenvolvidos pelos governos da Síria e de Israel. Na última segunda-feira (13), o diretor-geral da Aiea, Yukiya Amano, reclamou que é dificultada a entrada de inspetores estrangeiros para fiscalização das usinas nucleares iranianas.
 
O último relatório de Amano sobre o programa nuclear do Irã vai ser discutido na reunião. No começo deste mês, o diretor-geral reiterou a necessidade de desenvolvimento de projetos com fins pacíficos que não ameacem a segurança da comunidade internacional. As informações são da rede estatal de televisão do Irã, PressTV.
 
As autoridades iranianas negam o veto à entrada de inspetores estrangeiros no país e também rebatem as suspeitas de que haja produção secreta de armas atômicas nas usinas nucleares do Irã. O embaixador do Irã na Aiea, Ali Asghar Soltanieh, afirmou que as atividades desenvolvidas no país são técnicas e científicas.
 
A desconfiança em relação ao programa nuclear do Irã levou o país a ser submetido, desde junho, a severas sanções por parte da comunidade internacional. Inicialmente, o Conselho de Segurança das Nações Unidas fixou as restrições, depois a União Europeia, os Estados Unidos, o Canadá, a Austrália e o Japão optaram pelas medidas de forma particular.
 
As sanções impõem dificuldades nas relações econômicas, comerciais, militares e bancárias do Irã e empresários do país com a maior parte da comunidade internacional. O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é contrário às medidas e defende a busca pelo diálogo como alternativa para resolver o impasse.
 
Na semana passada, em Genebra, na Suíça, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, reiterou a disposição brasileira em colaborar na retomada das negociações do Irã com a comunidade internacional.

Fonte: Agência Brasil

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.