Projeto Asfalto Liso na Zona Oeste

Recuperação da pavimentação
 

O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, iniciaram o Projeto Asfalto Liso, na Zona Oeste. O programa, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Obras, teve inicio na Avenida Cesário de Melo, na altura de Santa Cruz, e visa recuperar a pavimentação das vias arteriais do Rio, investindo R$ 463,1 milhões em 187 logradouros em toda a cidade.

Na Zona Oeste, serão contemplados 55 corredores de tráfego, correspondentes a 200 quilômetros de extensão. Técnicos e operários da SMO trabalharão em 12 bairros: Campo Grande, Santa Cruz, Bangu, Realengo, Padre Miguel, Sulacap, Magalhães Bastos, Santíssimo, Senador Vasconcelos, Paciência, Sepetiba e Guaratiba. As avenidas Santa Cruz e Marechal Fontinele, e as estradas do Mendanha, Campinho, Catonho e Grota Funda também serão recapeadas. Somente na Zona Oeste o investimento é de R$ 172,2 milhões.

A partir de segunda-feira, o projeto se estende pelas principais vias da cidade nas zonas Norte e Sul e na região da Barra da Tijuca. No próprio dia 19, a partir das 22h, iniciam-se os trabalhos de fresagem e recapeamento das ruas Uranos, Ibiapina e José Maurício, o chamado corredor viário da Penha; e ainda das avenidas Vieira Souto, em Ipanema; Delfim Moreira, no Leblon; e Ayrton Senna, na Barra. A intervenção terá apoio da CET-Rio, que orientará os motoristas que passarem por esses locais.

De acordo com o prefeito, esse "é o maior programa de reasfaltamento do Brasil atualmente, com 700 quilômetros de vias recuperadas".

– Trabalharemos em quatro frentes: Zona Oeste, Zona Norte, Zona Sul e Barra. Atuaremos sem parar para trazer segurança e dignidade à população – disse o prefeito, destacando que os técnicos da Prefeitura passaram os últimos oito meses estudando em detalhes todas as condições necessárias para implantar o programa com garantia de sucesso.

Durante os estudos, foi feito um levantamento técnico de todas as vias consideradas arteriais pela CET-Rio, ou seja, onde há grande fluxo não apenas de veículos de passeio, mas também de ônibus e outros transportes de massa, bem como de caminhões e cargas. Nessa pesquisa, as vias foram classificadas numa escala que vai do "péssimo" ao "ótimo estado", e a conclusão dos engenheiros da Prefeitura é de que 90% das vias estavam no mais baixo nível de qualidade.

– Estamos utilizando soluções tecnológicas de primeiro mundo, como o asfalto-borracha e o asfalto modificado com polímero. Isso melhora o atrito do pneu com o pavimento, diminuindo os acidentes e também a poluição sonora, já que esse material abafa mais os ruídos – explicou o secretário de Obras.

Alexandre Pinto explicou também que o Projeto Asfalto Liso pretende ser uma ação de longo prazo, que a cada ano vai avaliar as vias atendidas e ainda outras na cidade, para fazer o reasfaltamento antes que o desgaste chegue a um ponto crítico.

Fonte: Prefeitura do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.