Rio 2016 tem 19 recordes mundiais quebrados

Uma das marcas, na perseguição do ciclismo de pista por equipes femininas, foi superada quatros vezes em dois dias
 

 recordes

O recorde mundial feminino da perseguição por equipes foi suplantado pela primeira vez nas eliminatórias, na quinta-feira (11), quando o time britânico concluiu os 4 mil metros da prova em 4 minutos e 13,260 segundos.  Na manhã de sábado (13), a equipe americana quebrou o recorde mais uma vez, ao fechar a primeira rodada das finais em 4 minutos e 12,282 segundos. Sete minutos depois, no entanto, as britânicas entraram na pista para a primeira rodada e superaram as americanas, ao atingir a marca de 4 minutos e 12,152 segundos. No entanto, na disputa pela medalha de ouro, no final da tarde, as britânicas melhoraram seu tempo mais uma vez, estabelecendo um novo recorde para a perseguição do ciclismo de pista por equipes feminino: 4 minutos e 10,236 segundos.

 

 

Perseguição britânica

A equipe masculina de perseguição britânica também quebrou o recorde mundial duas vezes, no mesmo dia. A primeira vez na primeira rodada da final (3 minutos e 50,570 segundos) e a segunda vez na disputa pela medalha de ouro (3 minutos e 50,265 segundos). Outra marca superada foi o sprint feminino em equipe, pela China: 31,928 segundos.

 

 

No atletismo, foram duas quebras de recorde: o sul-africano Wayde Van Niekerk fechou a final dos 400 metros rasos em 43,03 segundos e a etíope Almaz Ayana concluiu os 10 mil metros em 29 minutos e 17,45 segundos.

 

 

O sul-africano quebrou um recorde imposto pelo norte-americano Michael Johnson, que se mantinha há 17 anos. “Ao atingir o que eu acabei de conseguir, penso que o céu é o limite. De forma alguma, eu vou impor limites a mim mesmo”, disse Van Niekerk.

 

 

Na última sexta-feira (12), dois norte-americanos aproveitaram o último dia de provas da natação para estabelecer novos recordes. Ryan Murphy nadou os 100 metros costa masculino em 23,10 segundos e Katie Ledecky concluiu os 800 metros livre feminino em 8 minutos e 4,79 segundos.

 

 

Na natação, outros cinco recordes já tinham sido quebrados no primeiro final de semana de provas: Katie Ledecky nos 400 metros livre (3 minutos e 56,46 segundos), o britânico Adam Peaty nos 100 metros peito (57,13 segundos), a sueca Sarah Sjostrom nos 100 metros borboleta (55,48 segundos), o time australiano no revezamento 4×100 metros livre feminino (3 minutos e 30,65 segundos) e a húngara Katinka Hosszu nos 400 metros medley (4 minutos e 26,36 segundos).

 

 

Levantamento de peso

Outro esporte com um grande número de recordes mundiais quebrados é o levantamento de peso, com seis marcas superadas. O mais recente, na última sexta-feira (12), foi obtido pelo iraniano Kianoush Rostami na categoria até 85 quilos (kg). Juntando as provas de arremesso e arranco, ele somou 396 kg.

 

 

Outros que conseguiram quebrar marcas totais (soma do arremesso e arranco) foram os chineses Wei Deng na categoria feminina até 63 kg (262 kg) e Qingquan Long na categoria masculina até 56 kg (307 kg).

 

 

Houve quebras de marcas também em provas isoladas (arranco e arremesso). No arranco, em que o peso é levantado de uma só vez do chão até acima da cabeça, foi superado o recorde na categoria masculina até 77 kg, pelo chinês Xiaojun Lyu, que levantou 177 kg.

 

 

No arremesso, em que o halterofilista levanta inicialmente até o ombro e depois o ergue acima da cabeça, duas marcas foram superadas: o cazaque Nijat Rahimov levantou 214 kg na categoria até 77 kg e a chinesa Wei Deng levantou 147 kg na categoria até 63 kg.

 

 

No tiro com arco, o coreano Woojin Kim marcou 700 pontos nas eliminatórias masculina, no dia 5 de agosto.

 

 

 

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.