Rio continua sendo sede da ABC

Rio continua sendo sede da Academia Brasileira de Ciência
 

O Rio de Janeiro continuará sendo sede da Academia Brasileira de Ciências
  (ABC) pelos próximos 30 anos. A entidade, que quase foi para São Paulo em
  busca de melhores instalações, receberá a cessão, por três décadas, do
  edifício onde funciona atualmente a Secretaria de Estado de Fazenda, na
  Rua da Alfândega 42, Centro do Rio. O governador Sérgio Cabral assinou,
  na manhã desta segunda-feira (20/07), no Palácio das Laranjeiras, o
  decreto de cessão de imóvel. A medida só foi possível após a aprovação da
  Lei 5.397, de 10 de março de 2009, que tratava de trocas de terrenos e
  recebeu uma emenda do presidente da Assembleia Legislativa do Rio de
  Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB), para que o prédio fosse
  repassado à ABC. "É um momento histórico para os cientistas do Brasil. Há
  alguns meses, eu estive na atual sede da academia, na Rua Anfilófio de
  Carvalho 29. Fui com os secretários de Fazenda, Joaquim Levy, e de
  Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, e constatamos que as instalações
  eram precárias. Isto fez com que São Paulo quase levasse a instituição,
  composta por diversos cientistas renomados. Seria uma perda irreparável
  para o Rio de Janeiro", ressaltou Picciani.

  O edifício, que é tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e
  Artístico Nacional (Inepac) e foi construído nas primeiras décadas do
  século XX pelo Banco Alemão Transatlântico (Deutsche Ubersseische Bank),
  passará a ter sua manutenção feita pela academia. A transferência
  ocorrerá a partir da desocupação do local pela secretária de Fazenda, que
  passará a utilizar o prédio onde funcionou o extinto Instituto de
  Previdência do Estado do Rio de Janeiro (Iperj), na Avenida Presidente
  Vargas 670, Centro. ?Esta cessão entraria como emenda em uma outra
  proposta do Governo, mas a urgência da situação fez com que decidíssemos
  sugerir este acréscimo agora. Desta forma, garantimos a agilidade
  prometida à academia?, contou Picciani.

  Durante a cerimônia, Sérgio Cabral falou sobre a importância de trabalhar
  pelas instituições e com a sociedade. "A marca do nosso governo é a
  institucionalidade. Após a mudança da capital, na década de 60, o estado
  perdeu seu rumo e o processo de redemocratização não foi bem feito. O
  populismo ficou muito presente no aparelho do estado e nas instituições.
  Coube a nós uma reeducação política com a sociedade. Hoje, esse prédio
  histórico está em ótimas mãos e ratifica a posição do Rio de Janeiro como
  capital brasileira da tecnologia, ciência e informação", afirmou o
  governador.

  Entidade independente, não governamental e sem fins lucrativos, a ABC
  atua como sociedade científica honorífica e como consultora dos governos
  federal e estadual para estudos técnicos e de políticas científicas.
  Jacob Palis, presidente da academia, lembrou que a luta por uma sede
  adequada já tem mais de 80 anos e que agora a academia terá um lugar do
  tamanho de sua importância. "O governador sempre mostrou interesse em
  ajudar na questão da nova sede. Essa é uma reivindicação dos anos 20.
  Sempre lembrei que países como Argentina, México, China, Índia e África
  do Sul têm sedes modernas para seus centros científicos. Enquanto isso,
  nós trabalhamos no terceiro andar de um prédio comercial. Sempre foi um
  sonho para nós esse desfecho. Até porque, em matéria de ciências, o
  Brasil é disparado o país mais desenvolvido dentro da América Latina e
  com forte representação em todo o mundo", disse o presidente da
  instituição, que reúne 620 cientistas e é a mais antiga do País na sua
  área de atuação.

  Jacob ainda lembrou que a restauração e manutenção da nova casa da
  ciência contarão com parcerias públicas e com a possível ajuda do Banco
  Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além das leis de
  incentivo. "A construção é de 1926. É um prédio histórico que precisará
  de uma restauração. O Governo do Estado, o ministro da Ciência e
  Tecnologia, Sérgio Rezende, e a Fundação Getúlio Vargas já manifestaram
  apoio e vão nos ajudar no projeto. Vamos procurar também uma aproximação
  com o BNDES e faremos um estudo sobre as leis de incentivo para que esse
  projeto seja concretizado", afirmou o presidente da academia.

  Também estiveram presentes na cerimônia, os secretários de estado de
  Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, de Planejamento e Gestão, Sérgio
  Ruy Barbosa, de Fazenda, Joaquim Levy, e da Casa Civil, Regis Fichtner,
  além do reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj),
  Ricardo Vieiralves de Castro, e de representantes da Fundação Getulio
  Vargas (FGV) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

 

 

 

Fonte: Alerj

0 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.